Filmes

The House That Jack Built | Violência explícita gera debandada de espectadores no Festival de Cannes

Ícone dos anos 1980, Matt Dillon se reinventa como ator em The House That Jack Built
-
Zentropa Entertainments/Divulgação
 - Zentropa Entertainments/Divulgação

Embora não seja tão violento como prometia, a ponto de necessitar de um serviço médico a postos para atender espectadores mais sensíveis a sangue, como Lars von Trier exigiu, The House That Jack Built, o novo filme do diretor de Dogville (2003) está mais próximo do humor mórbido do que do horror, arrancando risos nervosos ao longo de seus 150 minutos. Há cenas de explícita brutalidade que causam nervoso e até repúdio, como a de um menino cortando a patinha de uma ave.

Há mais excesso de autoindulgência (pois Lars faz referências a sua própria obra todo o tempo) do que de agressividade. Porém o que mais e melhor se impõe em cena é o talento de Matt Dillon, em um exercício de reciclagem de sua própria imagem e de seu talento. Exibido na manhã de terça para a imprensa na Croisette, The House That Jack Built fez muita gente sair do cinema, 25 minutos após sua projeção começar, parte pelas ações violentas de seu protagonista - um psicopata com TOC por limpeza - parte pela impáfia de Lars ao retratar mortes sob uma perspectiva debochada. Mas quem ficou até o fim, deleitou-se com a potência narrativa do cineasta e com a atuação de Dillon. Ícone dos anos 1980, quando viveu Rusty James no cult O Selvagem da Motocicleta (1984), ele dá a Jack uma dimensão patética, frágil porém exuberante.

Reclama-se muito na Croisette de um certo viés misógino e sexista do filme, pela maneira desrespeitosa como representa as mulheres (vistas como presas na visão do assassino). Esse debate sobre sexismo só faz aumentar e aquecer o boca a boca em torno do longa-metragem.

À noite, Cannes verá Han Solo – Uma História Star Wars, de Ron Howard. Leia mais sobre Festival de Cannes

Lars von Trier
30 de Abril de 1956 (62 anos), Kongens Lyngby, Denmark
sobre

Exatamente. O que me deixa fulo é que este povo "terror modinha" vai na nhaca da sessão SABENDO que a coisa é séria, que vai chocar. Meu, nem vai... deixa lugar vago para os verdadeiros fãs!

Então, não gostaram por quê? Porque não é violência estilizada? Quando é Tarantino é lindo, quando é mostrada a violência como ela é, crua e sádica é feio. No contexto faz todo sentido, Serial Killers escolhem os mais vulneráveis, logo o filme tem sua coerência. Chega de Dexters, Normans e Hannibals, vamos mostrar as coisas como elas são e deixar de romantizar a escória.

Passo

Eu não consigo gostar de seus filmes mais desde Mellancollia! Ninguém no cinema abraça mais o desespero, o sofriemnto e a dor igual a Lars Von Trier, e isso ME TODOS SEUS FILMES. Todos de deixar revoltado, com vontade de destruir um carro novo e 0 a marretadas. O mundo pode não ser um Arco Íris, mas também não é os sete infernos e a tristeza infinita que Lars sempre representa. É como se ser humano fosse algo ruim.

"Reclama-se muito na Croisette de um certo viés misógino e sexista do filme, pela maneira desrespeitosa como representa as mulheres (vistas como presas na visão do assassino)." Mas a criatura é um serial killer, queria que ele as visse como o quê?

Curioso pra ver esse filme. Lars von Trier faz Tarantino, Rodriguez e Fincher parecerem três senhoras beatas fãs de Roberto Carlos.

não sei no que veem neste cara...... ele fé conhecido por chocar, polemizar.....

Sim, é isso mesmo. Bizarro.

Mas é justamente o que eu quis dizer. Reclamar que um psicopata é sexista não faz sentido. Dizer "mas ele é psicopata, é ÓBVIO que ele é sexista" é tão sem sentido quanto. Ele mata por ser psicopata, ponto. É como dizer "ele é cego, por isso mata pessoas com camisas vermelhas".

Dollynho, exigir que um cara que assassina pessoas trate bem as mulheres ou homens ou o que quer que seja é uma coisa bizarra, cara. O cara é um psicopata.

Mas um psicopata não precisa ser necessariamente sexista. O psicopata simplesmente não se importa e não se conecta emocionalmente com nada nem ninguém. Ele pode ser psicopata e matar só homens, ou só crianças loiras de 1,20 m, ou só asiáticos...

Vou assisitir com certeza, mas ainda bem que hoje as leis impedem que animais sejam maltratados de verdade nas filmagens. Verei todo o sangue já sabendo que é fake e não o contrário, como quando vi, ainda moleque, Canibal Holocaust, achando que era fake e descobrindo que todos os animais do filme foram mortos de verdade, com requintes de crueldade (a cena do gambá e da tartaruga até hoje me dão calafrios)

"Reclama-se muito na Croisette de um certo viés misógino e sexista do filme, pela maneira desrespeitosa como representa as mulheres (vistas como presas na visão do assassino)" Reclamar que um psicopata é sexista. Um PSICOPATA. Ta aí uma coisa bizarra.

Lars Von Trier forçando na polêmica. Nada de novo no front.

Esse Lars Von Trier não passa de um simpatizante de Hitler e do nazismo.

"Risos nervosos "...que expressao mais surreal. Gourmet vao adorar...ja que comem o embrião de pato ja formado. ..isso pra mim é pior

A imagem da criança cortando a pata do pato (kkkkk) está no trailer e me deu calafrios. Se o filme manter isso vai ser tenso de assistir.

Não sou muito fã do Lars Von Trier, mas esse filme eu irei ver, por gostar da temática. Porém, diferente dos chatos, eu sei o que me espera.

Também já vi, a última vez foi no final de "Um Lugar Silencioso", que as pessoas atrás de mim VAIARAM o encerramento do filme. Sendo que antes passaram o filme inteiro conversando. Mas pelo menos não era o trabalho dos meus colegas cineastas.

Já vi isso acontecendo no Brasil também, em sessão comercial, ou seja, pessoas chatas estão espalhadas e se multiplicando.

Pior que não, esse comportamento é antigo em Cannes. Apesar de achar que hoje está mais acentuado com a geração "tem que ser tudo como eu quero, senão vou fazer birra"

Esse público de festival parecem ser as pessoas mais chatas do planeta. Qualquer coisa já vira motivo de sair da sala e vaiar ou de gritar alguma coisa. Nem tudo é um ato de movimento, galera de Cannes. Vocês podem só assistir filmes como pessoas educadas.

Esse povo que sai de filme é pago pra sair ds filme, só pode. Todo ano acontece isso, aí vc vê o filme e Cidade Alerta é pior. Tipo aquele da mina canibal.

Aguardando chegar por aqui!!! Deve ser phod@ demais..... Eita!!!! SOLO hoje à noite...omelete mande notícias inloco sobre as reações...kkkk

Não entendo porque tem crítico que sai no meio de uma sessão. O velhinho não sabe que ele só estará fazendo mais marketing para o filme? O que ele acha que vai encontrar num filme do Lars Von Trier? Nem sei porque esses críticos saem de casa.

Todo ano meia dúzia de tiozinho passa mal em Cannes, tá na hora de reciclar esse marketing

É a tipica geração que acha q tudo tem q ser sexista

É a típica reação da geração snowflake... Tudo "machuca"!

Esse Lars Von Trier só sabe fazer filme polêmico, incômodo! Precisamos de mais filmes assim...

ansioso para assistir nos cinemas

Lars Von Trier ao final do filme deixa claro: "Se não for pra causar nem saio de casa."

Essa galerinha que sai correndo de salas de filme de terror são sempre as mesmas. Povinho sabe que o filme é de terror, SABE do peso que o nome Von Trier representa, e mesmo assim vão lá xeretar. Poxa, se já estão em Cannes, devem ter o MINIMO de conhecimento para entender no que estão entrando.

É, só falta a galera sair correndo da exibição do Solo, dai ja da pra ter uma noção se tá bom ou não.

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus