Música

Radiohead faz show sem o peso da expectativa, entretém e se diverte

Mesmo depois de anos sem voltar a São Paulo, banda se mostra à vontade, entre hits e experimentações
-
stephansolon / Divulgação
 - stephansolon / Divulgação

Foi com uma energia diferente do show de 2009 que o Radiohead voltou a se apresentar em São Paulo neste domingo. Se há oito anos a Chácara do Jockey assistiu a uma apresentação marcada pela tensão e pela expectativa, e que transcorreu mais como uma missa do que como um evento de arena, o show de ontem no Allianz Parque foi ajudado pela acústica do estádio (bem mais "intimista" que a chácara aberta) e por uma banda mais à vontade, que consequentemente encontrou um público disposto a cantar junto e não só a prestar reverência à banda.

O vocalista Thom Yorke, particularmente, que às vezes se coloca introspectivo diante da plateia, se mostrou bastante animado, e quando o baixista Colin Greenwood pediu palmas ao público durante "15 Step" - primeira faixa a levantar a galera, depois de duas canções do álbum A Moon Shaped Pool que abriram o show - começou a ficar claro que o Radiohead veio disposto a entreter e se divertir. Por mais que o compasso das batidas quebradas de "15 Step" não deixe tanto o público acompanhar nas palmas, o que valeu foi o gesto.

O único senão desse princípio de apresentação foi o som no Allianz, que começou baixo mesmo para quem estava na pista premium. Levou umas seis ou sete faixas para que o volume subisse, e as caixas rateavam um pouco para aguentar o som, que nem estava tão alto assim. Do palco, porém, a energia não deixou de seguir um crescendo; as firulas audiovisuais (a câmera nos olhos de Yorke ao piano, a projeção em mosaico com imagens-detalhes dos músicos) eram só um complemento, e o que ditou o show foi a presença de palco do vocalista e a animação de Greenwood e do guitarrista Ed O'Brien, visivelmente contente com sua camisa da seleção brasileira.

Embora a base do show seja muito similar à daquele na Chácara do Jockey - canções de OK Computer, Kid A e In Rainbows se enfileiram bem sem tornar a apresentação uma ordenação burocrática de hits - a impressão deixada ontem é de que o Radiohead acabou com a mítica de ser uma banda difícil, de câmara. Nas baladas como "All I Need" e "Let Down", ou nas faixas mais agitadas, como "Everything in its Right Place" (que veio numa batida mais dançante), o som é recebido com coro pelo público e a banda agradece, energizada. O resultado é uma apresentação sofisticada, mas popular.

Yorke dançou, agitou os braços ao mesmo tempo pedindo e agradecendo as palmas, e serpenteou, como se a música fluisse por ele na batida, principalmente em "Idioteque" - ponto alto do show antes dos dois bis. Em algumas faixas, a performance se aproxima mais do registro de estúdio - como em "Exit Music (For a Film)", quando Yorke mostra fôlego e alcance vocal - e em outras ele leva a música como um lamento, como em "Paranoid Android", cantada com as notas esticadas, com a voz frágil, sentida.

É curioso notar que um show como o do Radiohead - em que a banda visivelmente prima pela capacidade, pela constância - às vezes muda bastante só no detalhe, só numa postura um pouco diferente. E ontem Thom Yorke foi o canal dessa mudança; o vocalista estava presente de verdade, pareceu se divertir, e foi o bastante para tornar a noite melhor.

Leia mais sobre Radiohead

nunca foi pós-punk muito menos grunge

decks dark é minha favorita no cd novo também.

Seria demais cara!

Meu sonho é escrever uma opera rock de Blade Runner ao som de Radiohead

*terceiro. Hahaha estava em quinto um dia desses. Daqui a pouco a briga vai ser Kid A e OKC kkkkkk

Entendo. Acho que as pessoas deviam tomar cuidado e pesquisar antes de falar algo equivocado. Eu como fã de música sempre pesquiso com muito cuidado. O Radiohead passou por várias fases e muitas vezes foram colocados como Britpop e Grunge de modo equivocado ou de forma pretensiosa. Certamente se analisarmos de um ponto de vista critico e correto e "sem bagunça" a banda transitou apenas por esses gêneros: Rock Alternativo, Art Rock, Eletrônica, Rock Experimental, Art Pop e Chamber Pop. Caso tenha interesse em ter um conhecimento maior sobre algumas questões relacionadas a música. Recomendo o fórum Rateyourmusic que possui diversas informações relacionados a álbuns, artistas e etc. Tem uma lista muito interessante dos melhores álbuns de todos os tempos votado pelos usuários do próprio site. Do qual o Radiohead está com 4 álbuns no top 100. Sendo que OKC em primeiro e Kid A em quinto. O senso critico é bem maior e também contra as revistas como Rolling Stones que costumam exaltar o Beatles. https://rateyourmusic.com/charts/top/album/all-time

Kid A é quase uma trilha instrumental. Ele tem um conceito, talvez não seja pra vc e tb não é meu preferido. Mas como disse, escute A Moon Shaped Pool e In Rainbows, eles tem uma pegada mais pop, se é que isso é uma expressão que faz sentido pro Radiohead kkk

Eu ouvi o Kid A e vi que ali não tinha nada pra mim. E não acho nada significativo nos outros trabalhos deles.

Não fui eu aqui que usei essa expressão. E nem vou discutir com o Bowie, ele sabe o que diz.kkk

Queria saber quando Radiohead foi pós-punk. Nunca foram da cena pós-punk e nunca vi ninguém falando isso. Agora grunge sim já olhei muita gente falando

Minha banda atual favorita junto de Fleet Foxes. Pra mim são semelhantes, mas enquanto Fleet Foxes leva pra um ambiente onírico de fantasia medieval e do interior, a Radiohead leva pra um sonho de tecnologia, black mirror e é a melhor banda pra se ouvir lendo ficção científica. Será que é só eu que faço essa relação? kk

Mas en entendo o que quer dizer, pois os discos pós Ok Computer, foi um divisor de águas pra influencias da banda. Mas gosto demais de vários discos posteriores. Aliás, um colega a baixo disse que dai em diante eles decaíram e eu não acho, foram irregulares? Foram, eu não gosto muito de "Kid A" como a maioria, e a maioria não gosta de "King of Limbs", mas dizer que não gosta de nada depois de "Ok Computer" eu ao menos recomendaria ouvir o disco "In Rainbows" e o último "A Moon Shaped Pool". Mas gosto é gosto. Eu não consigo ouvir nada do Black Sabbath, acho que eles foram superestimados e levo crítica por isso. Cada um cada um.

Como disse, houve algumas faltas no repertório, mas não tenhamos "complexo de viralata". É do tipo de banda que costuma alternar o repertório, mas não foca em sacanear brasileiros kkk

Vc pode até não gostar da banda, mas nenhum crítico com mínimo de conhecimento escreveria que é uma banda que vive do passado. Não faz nenhum sentido o que disseste.

Ok, pra vc. Um comentário sem maiores informações do motivo que achas isso. Eu não acho.

É Jonny Greenwood depois de virar mira de Oscar então ficou mais visado kkk Ma seu não acho eles melhores ao vivo que em estúdio. Não gosto do Tom Yorke com essa voz mais solta e despojada. Acho ele superior em estudio. Sem contar que é uma banda que ousa da tecnologia e efeitos de produção, e muito não soa tão bem ao vivo, onde embola tudo. Mas isso é opinião minha.

Bom, primeiro disse banda, oq já exclui o Bowie e basicamente o Jimi Hendrix (ja q citou Experience, que nao eh bem uma banda e sim de apoio), que são espetaculares. E no sentido de sonoridade, de novidade eu acho eles mais influentes sim do que Sabbath, Ropsy Music, Stooges, New Order, Stones (ambos gosto, mas não acho q trouxeram algo novo e alguns deles, e o caso do Sabbath acho até supervalorizado, mas nem vamos entrar nessa questão...). No caso do Led... poxa, eles foram sensacionais, ai vc realmente me deixa com uma pulga atrás da orelha. Vamos dizer então que o som do Radiohead hoje é das coisas mais influentes. Por ser original, um tipo de outro passo. Melhor assim!

Eu acredito que não cara, pois o Kid A foi meio que esse divisor de águas, e muitos achavam seu melhor trabalho, eu até te entendo, porém se me dissesse isso na época do disco "Kid A" eu concordava com vc, mas dai veio o excelente "In Rainbows", então o intragável "King of Limbs" pra voltar agora com o excelente "A Moon Shaped Pool" onde se diluiu novamente o lado eletrônico deles. Então se vc me dissesse que são irregulares eu concordo, mas que a sonoridade está se diluindo, eu não concordo. Até pq pra mim o ultimo eh dos meus discos favoritos da banda. Mas realmente os discos que vc tem são da fase de ouro e a partir dai as influencias deles foram diversas e dividiu fãs.

Para quem quiser ver minha análise do show, está mais do que convidado a entrar no meu medium @fzfranco94

Quantificar a influencia eu não faço. Eles são importantes (como disse antes, eu curtia muito eles no inicio), mas dizer que eles são os mais influentes desde os Beatles é negar o Led, Pink Floyd, Deep Purple, Iron Maiden, The Cure, Sex Pistols, The Clash, Joy Division, The Smiths... bandas que influenciaram tanto (se não mais) que Radiohead.

Hum...mais influentes desde os Beatles? Olha...maior que Kraftwerk, Led, Sabbath, Experience, Roxy Music, Bowie, Stooges, Byrds, Velvet Underground...Joy Division...New Order, Floyd, Kinks, Stones...? A lista... é longa...E nem citei a black music...

É uma bandaça que honra a tradição "cabeça" do melhor do Rock britânico mas...compará-los aos Beatles, mesmo que seja pela influência, é algo hiperbólico. Admiro enormemente a disposição em sair da zona de conforto, a atitude de cultivar e quebrar as expectativas, mas... novamente: Não estão sós e muito menos com léguas de distância da concorrência. Simon Reynolds, que é um crítico a toda prova e possui insights extremamente argutos, chancela essa aura sobre-humana no que não concordo. Radiohead é uma banda com um nivel de informação, sofisticação e integridade artística entusiasmantes mas a tradição anterior ao surgimento deles e colegas contemporâneos ombreiam normalmente e até ultrapassam a banda de Oxford.

Não teve Creep ???? O_o

é verdade. As bandas de post punk eram melhores do q o radiohead e o brit pop. O radiohead não é tao original assim, eles seguem a linha do rock progressivo do pink floyd, king crimson, genesis do periodo de peter gabriel... Mas é inegavel, ok computer é um classico do rock e o melhor disco dos ultimos vinte anos. Nem todos os discos do radiohead eu gosto mas alguns reamente possuem pop concistente.

Cara eu tenho 3 CDs deles (Pablo Honey, The Bends e OK Computer), comprei numa época que devorava tudo que era banda inglesa (Happy Mondays, Suede, Blur, Soupdragons, Oasis, Pulp, Bush, Supergrass, etc...) e o que eu vi foi a musicalidade deles diluindo. Ele podem ser técnicos e influentes, mas garanto que teve muito critico falando que todo trabalho deles era ótimo pra não admitir que a sonoridade deles tava cada vez mais intragável. Pra mim depois de uma época eles deixaram de serem relevantes e eram superestimados por causa dos trabalhos antigos.

Uma pena que n vieram pra Brasília, daria o meu c# pra ir num show deles

Talvez Eu seja o maior fã desse disco que ficou entre os 10 favoritos da minha lista dos anos 2000.

Claro...mas a influência tá lá...

Nao... questão de gosto. Também ajudou o fato d'Eu conhecer, antes de me tornar fã deles, boa parte da discografia de artistas desse período citado e outros. Mas são uma banda fora da curva desde "Ok Computer" realmente.

Ah ok. Agora q vi q vc escreveu “matriz”. Sim, de fato. Mas hj realmente o gênero do Radiohead eh... radiohead kkk

"..matriz de seu som..." Falei da influência, meu caro. Movimento ou gênero musical como queira, que vai de 1979, talvez, ate os estertores da geração de 1983 liderada pelos Smiths. Jamais a banda de Yorke e Greenwood poderia fazer parte desse estilo. Pelo mesmo motivo se afirmo que a matriz do Queens Of The Stone Age, Soundgarden ou do White Stripes é o Hard Rock e Heavy Psicodélico dos anos 70.

Ela e todas outras então... uma das poucas bandas da história que as versões ao vivo são melhores até que as do studio.. Banda que tem Jonny Greenwood é, no mínimo. fodástica.

Essa banda é uma das poucas que consegue fazer ainda algo relevante no presente. Me fale as suas...

Acho eles bastante originais e a banda britânica mais influente desde Beatles. Veja bem, disse DESDE Beatles. Não estou comparando, eu adoro Beatles!

Nostalgia sua, acredite. https://www.besteveralbums.com/bandstats.php

Se vc gosta do Ok Computer, experimenta ouvir In Rainbows.

Tu realmente entende do repertório deles pra achar q vivem das glórias do passado. O Radiohead eh exatamente o contrário... eles chegam a não tocar clássicos como "Creep" e "Karma Police", como ocorreu no Brasil. Eles justamente tb estão sempre se reinventando. Pelo comentário penso que vc nao acompanha mesmo o Radiohead, que nem pós-punk são mais.

pós-punk? Eles deixaram de ser isso a muito tempo.

Curiosidade: Em São Paulo não tocaram "Karma Police" (o que é surpreendente), mas em compensação tocaram "There There" que não tocaram no Rio. Duas músicas que sinto falta em qualquer repertório. Quanto ao disco novo, senti falta no repertório da "Decks Dark", que gosto bastante. E "Talk Show Host" é uma que eles tocam as vezes, eu adoro, mas não rolou. Mas estou de acordo com as lives do Rafael Gonzaga: "Amém In Rainbows!" Tendo muitas desse disco já tá valendo! kkk

Concordo. São desgraçadamente bons, mas nao a ponto de superar as melhores bandas da matriz de seu som que vem a ser o pós--punk britânico. Também não os acho tao originais e seminais, embora possuam canções e discos clássicos.Ajudou, alem da excelência dos discos noventistas, a comparação com o tal do brit pop. Esse último sim, chato...

"Problema seu, assim como não consigo gostar de Metal." Comentarista ruim de bola...

sem falr do set list...o do chile foi melhor, o do Peru teve Creep, Karma, Fake plastic, no surprise tudo... ja no brasil os cariocas ficaram com karma e os paulistas com Fake...enfim..ate nisso brasileiro se fode

Radiohead é um caso interessante. É um grupo intimista, sem carisma mas q faz otimos discos e otimos shows.

Show Fraco, sem falar dos problemas tecnicos. do Rio um pouco melhor. Mas nada q se compare ao de 2009. mas enfim, pra Brasileiros q conseguem pagar quase mil reais pra ver o resto da festa ta de bom tamanho

showzao, foi muito foda, fiquei muito emocionado.

Essa banda vive das glórias do passado...

baita show. eles se divertiram muito, estavam super engajados. pareciam impressionados com a selvageria dos fãs e embarcaram junto...

In rainbows é muito bom, mas aí depende muito do gosto pessoal

Banda do meu coração, maravilhosa.

Ainda irei em um show da banda.

Problema seu.

O único disco deles que eu gosto é o "Ok Computer"! Não consigo gostar dos outros!

Vi o Hessel lá, com cara de poucos amigos. Showzaço.

Banda superestimada...

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus