Música

Metallica no Rock in Rio 2013 | Crítica

Banda faz show memorável e consegue segurar com garra o cansado público do festival
-

O Metallica chegou ao Palco Mundo do Rock in Rio com 30 minutos de atraso, nesta quinta-feira, 15. Por ser um dia de trabalho, o atraso pareceu ter afetado o ânimo da plateia. Claro que isso não impediu a felicidade geral quando surgiram as notas de “Ecstasy of Gold”, de Ennio Morricone, junto a imagens do filme Três Homens em Conflito, de Clint Eastwood, no telão, abrindo o show do grupo.

Em seguida, o palco foi incendiado com “Hit The Lights”, faixa que abre o primeiro álbum do Metallica, Kill ‘Em All, de 1983. A apresentação seguiu com grandes clássicos, como “Master of Puppets”, do disco homônimo de 1986, e “Holier Than You”, clássico do Black Album, um dos mais aclamados discos do grupo e do rock em geral.

A sequência mostrou que o Metallica não estava ali apenas para constar. A banda mostrava uma presença de palco incrível e um desempenho das músicas acima da média. Porém, a sequência de faixas que veio a seguir, com “The Day That Never Comes”, “The Memory Remains”, “Wherever I May Roam” e “Welcome Home (Sanitarium)”, não conseguiu segurar tão bem a atenção do público. O vocalista James Hetfield cobrava que os presentes fizessem mais barulho, perguntando a todo momento: “vocês ainda estão aí?”, o que deu ajudou a reequilibrar este momento mais 'crítico'.

O show alternava entre grande êxtase e momentos um pouco mais parados na plateia. Mas a trinca com as clássicas “Sad But True”, “...And Justice For All” e “One” foi arrasadora. A energia que o guitarrista Kirk Hammett e o baterista Lars Ulrich transmitiam, juntamente com o carisma de Hetfield e do baixista Robert Trujillo, conseguiram manter o público, visivelmente exausto, de pé e cantando.

Hetfield conversava com as pessoas, em inglês, muito frequentemente. Em certo momento, perguntou se a galera havia gostado da apresentação do Ghost B.C., banda com maquiagens e fantasias bizarras e um som que não conseguiu cativar os presentes. Quando ouviu um sonoro "não", o vocalista soltou: “Pobre Ghost. Aposto que vocês ficaram com medo”, arrancando algumas risadas.

Enquanto a banda tocava “For Whom The Bell Tolls” e “Blackened”, um grande número de pessoas já se dirigia para a saída da Cidade do Rock, como se vários sucessos ainda não viessem pela frente. “Nothing Else Matters” e “Enter Sandman”, provavelmente as duas maiores músicas do grupo, foram tocadas em sequência, forçando os remanescentes a cantar e pular com todas as forças.

Ao deixar o palco, o Metallica dava a impressão de que voltaria, mas a plateia não estava convencida. Quando James Hetfield apareceu, a banda foi ovacionada. Se não bastasse, o grupo largou três das suas músicas mais pesadas no bis, tocando “Creeping Death”, “Battery” e, por fim, “Seek & Destroy”, fechando com chave de ouro a noite.

A apresentação do Metallica foi memorável, levando o próprio vocalista da banda a revelar que achou o show superior ao de 2011, quando o grupo também se apresentou no Rock in Rio. Infelizmente, alguns sucessos como “Fade To Black” e “The Unforgiven” ficaram de fora. O grupo foi ao palco mais uma vez, mas para agradecer – um integrante de cada vez – a presença de todos naquela noite e, quem sabe, em 2014.

Leia mais sobre Metallica
Leia todas as críticas do Rock in Rio 2013

Nota do crítico (Bom) críticas de Música

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus