Guillermo del Toro
Personalidades

Guillermo del Toro

  • Nascimento: 9 de Outubro de 1964 (Guadalajara, Jalisco, Mexico)
  • Idade: 53
  • Atividades: Ator, Diretor, Produtor, Roteirista

Guillermo del Toro (nascido em Guadalajara Jalisco, México, em 9 de outubro de 1964), é um diretor, roteirista, produtor e escritor mexicano.

Del Toro já trabalhou em diversos segmentos dentro do universo cinematográfico, desempenhando funções como maquiador de efeitos especiais, diretor de casting, artista de storyboard entre outras.

No entanto, seu passa a figurar entre os nomes mais conhecidos do mercado por meio de seu trabalho como diretor, que ganha força após gravar dois curtas. Assim, no início de sua carreira, dirige alguns episódios da série mexicana Hora Marcada, 1986-1990; projeto no qual também trabalha no departamento de maquiagem e efeitos especiais, e então segue para a direção de seu primeiro longa-metragem, Cronos, 1993; filme para o qual escreve o roteiro e também faz uma participação não creditada como ator. O filme rende oito prêmios da acadêmia mexicana de cinema e inicia uma de suas parcerias mais duradouras, com o ator Ron Perlman.

Após o sucesso de seu primeiro trabalho, também escreve e dirige seu primeiro filme gravado nos Estados Unidos,Mutação (Mimic, 1997),com Mira Sorvino e Norman Reedus. No entanto, após uma experiência ruim durante a realização do projeto, del Toro retorna para o México onde produz o longa O Feitiço (Un embrujo, 1998), e retoma seu ritmo intenso de trabalho já nos anos 2000 com a direção, roteiro e a produção executiva deA Espinha do Diabo(El espinazo del diablo, 2001).

No ano seguinte, assume a direção de Blade II (Blade II, 2002), com Wesley Snipes, e segue para o roteiro e direção de Hellboy (Hellboy, 2004), mais uma vez com Ron Perlman, trabalha como produtor em diversos filmes, e dois anos mais tarde segue para a produção, roteiro e direção de O Labirinto do Fauno (El laberinto del fauno, 2006), projeto pelo qual recebe indicações ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Roteiro Original e é premiado em algumas categorias técnicas. Dois anos depois retorna para um dos seus trabalhos preferidos, quando dirige e roteiriza Hellboy 2 - O Exército Dourado (Hellboy II: The Golden Army, 2008), novamente com Pearlman.

Após o término dessa produção, se envolve em diversas outras funções cinematográficas, como na produção executiva de O Orfanato (El orfanato, 2007), produz o longa Coisas Insignificantes (Cosas insignificantes, 2008), assume a direção da trilogia baseada no livro O Hobbit, que acaba não se concretizando, escreve o roteiro de NãoTenha Medo do Escuro (Don't Be Afraid of the Dark, 2010), é produtor associado em Biutiful(Biutiful , 2010), dirigido por Alejandro González Iñárritu, ganha créditos como roteirista nas produções O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey, 2012), O Hobbit: A Desolação de Smaug (The Hobbit: The Desolation of Smaug, 2013), e O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies, 2014), todos dirigidos por Peter Jackson, retoma seu trabalho como diretor, produtor e roteirista no longa Circulo de Fogo (Pacific Rim, 2013), com Idris Elba eCharlie Hunnam, e segue para a produção executiva, roteiro e direção de alguns episódios da série baseada na Trilogia da Escuridão, livros que escreve em parceria com Chuck Hogan. de sua autoria, The Strain, 2014 -. No ano seguinte, produz o longa La delgada línea amarilla, 2015; e retorna para as funções de diretor, produtor e roteirista em a Colina Escarlate (Crimson Peak, 2015), com Mia Wasikowska, Jessica Chastain e Tom Hiddleston. Posteriormente, segue para a produção executiva de Como Treinar seu Dragão 3, 2018; e Kung Fu Panda 3, 2016.

Curiosidades

Del Toro estudou efeitos especiais e maquiagem com o artista de efeitos especiais Dick Smith. Ele passou dez anos trabalhando nesse segmento até criar sua própria companhia, Necropia. Ele também é cofundador do Guadalajara International Film Festival. Posteriormente, como parte de sua carreira como diretor, também criou sua própria produtora, Tequila Gang.

Em abril de 2008, del Toro foi contratado por Peter Jackson para dirigir a adaptação de O Hobbit. No entanto, em 30 de maio de 2010, del Toro deixou o projeto por causa dos diversos atrasos na produção ocasionados por problemas financeiros da MGM. Porém, mesmo não dirigindo os filmes, foi creditado como coautor dos roteiros dos três longas.

Foi escolhido para fazer parte do júri da competição principal do Festival de Cannes de 2015.

Eu provei que sou o albatrozdos videogames. Me juntei ao THQ, e o THQ quebrou. Me juntei ao Kojima, e o Kojima saiu da Konami por causa do Metal Gear. Então eu decidi que não vou mais destruir a vida de ninguém, eu decidi que não vou me envolver nunca mais com videogames. Do contrário, eu irei me juntar a alguém e a casa dele irá explodir ou coisa parecida”.

Em uma entrevista para Robert K. Elder para o livro The Best Film You've Never Seen, del Toro explica sua metodologia cuidadosa: Eu estou tão bem preparado quanto posso durante o meu processo de gravação e isso veio da disciplina de trabalhar como um artista de maquiagem e efeitos, muitas, muitas vezes na minha vida”.

Deixou de dirigir Blade: Trinity (Blade: Trinity, 2004), Alien vs. Predador (AVP: Alien vs. Predator, 2004), e Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban Harry (Potter and the Prisoner of Azkaban, 2004), para trabalhar no projeto dos seus sonhos, Hellboy.

Deixou de dirigir Eu Sou a Lenda (I Am Legend, 2007), Uma Chamada Perdida (One Missed Call, 2008), Harry Potter e o Enigma do Príncipe (Harry Potter and the Half-Blood Prince, 2009), e Halo para trabalhar em Hellboy II: O Exército Dourado.

Brigou com o estúdio, por quase sete anos, para conseguir que Ron Perlman interpretasse o papel principal em Hellboy. O estúdio queria um nome conhecido para garantir o sucesso do filme, mas del Toro acreditava que Perlman era a escolha perfeita e não faria o filme se ele não fosse selecionado.

Tem memória fotográfica.

Sua avó tentou exorcizá-lo duas vezes por causa do seu persistente interesse em fantasia e em desenhar monstros criados em sua imaginação.

Afirma que Mutação é o pior de seus filmes, e credita isso à interferência constante dos produtores.

Sua coleção de filmes e revistas em quadrinhos é tão grande que foi necessário comprar uma casa extra para guardar tudo.

Se você não está trabalhando em um grau instintivo, você não é um artista… Razão sobre emoção uma ova, merda absoluta… Nós nos sufocamos em regras. Eu acho fantasia libertadora”.

Faça a merda que você quiser, mesmo que seja errado e então fale sobre isso com honestidade. Isso é fazer filmes pra mim”.

Eu detesto os filmes de Hollywood nos quais as crianças são felizes e descerebradas criaturas que tem apenas uma fala. Eu tentei colocar no A Espinha do Diabo quão inseguro é ser uma criança. Muitas vezes na minha vida eu vi crianças quase se matando”

Sobre a coisa mais assustadora que ele já viu na televisão: Quando eu era criança, isso não é uma metáfora, eu realmente me caguei enquanto assistia Galeria do Terror (Night Galery, 1969-1973). Tinha um episódio chamado A Boneca. Eu me lembro de quando a boneca sorriu e eu, literalmente, perdi o controle do meu esfíncter.