Séries e TV

Dark | Entenda passo a passo a série mais complicada da Netflix

Listamos tudo de importante que pode ter passado batido na trama
-
Reprodução/ Netflix
 - Reprodução/ Netflix

Dark, a primeira produção original alemã da Netflix, chegou à plataforma em dezembro e, um mês depois das famílias de Winden serem apresentadas ao público, muita gente ainda não entendeu nem a enigmática cena final da trama, nem a sequência de acontecimentos. De fato, Dark não é uma série fácil: ao longo de dez episódios, o espectador é empurrado para uma trama onde linhas temporais distintas convergem e as várias versões dos mesmos personagens ocasionalmente passeiam por elas. Em função disso, montamos um guia para entender tudo o que aconteceu no primeiro ano e, de quebra, estar preparado para o que vem aí na segunda temporada.

[Cuidado com possíveis spoilers!]

Mikkel Nielsen sumido e o buraco de minhoca

O primeiro mistério apresentado na trama é o que aconteceu, ou para onde foi, o jovem Mikkel Nielsen (Daan Lennard Liebrenz), que desaparece na floresta ainda no primeiro episódio. Mikkel é filho do policial Ulrich Nielsen (Oliver Masucci), um homem que já havia sofrido com o desaparecimento de seu irmão mais novo, Madds, 33 anos antes. Sem maiores enrolações, Mikkel foi parar em 1986 e, como o tempo inicial da série é 2019, ele regrediu 33 anos na linha temporal. Esses 33 anos, aliás, são um tempo recorrente e importante ao longo de toda a trama. Mas como ele foi parar lá?

O principal elemento de Dark é nada menos que um buraco de minhoca, uma das formas que a física já teorizou sobre a possibilidade de viajar pelo espaço-tempo. Quem introduziu a lógica por trás desse tipo de viagem originalmente foi o físico alemão Albert Einstein através da teoria geral da relatividade - ela é muito complexa, mas, para entender a trama, basta saber que se trata resumidamente (muito resumidamente, no caso) de um tubo cuja entrada está em um período do tempo e a saída está em outro.

O buraco de minhoca estar exatamente ali na cidade não é algo gratuito ou aleatório na trama: a existência dele está vinculada à um acidente que aconteceu na usina nuclear que serve como background da trama. Localizadas exatamente embaixo do acidente que criou a distorção no espaço-tempo, as cavernas de Winden, na verdade, conseguem conectar três tempos diferentes: 1953, 1986 e 2019 - todos separados por 33 anos.

Voltando a Mikkel, a trajetória dele na série é bastante curiosa. Em um primeiro momento, é claro que o jovem Mikkel Nielsen tenta retornar para 2019, mas, sem sucesso - ele chega a quebrar a perna no processo -, aparentemente conforma-se com a nova vida. Vivendo no passado, o rapaz é adotado por Ines Kahnwald (Anne Ratte-Polle) sob o nome de Michael e, conforme o tempo vai passando, ele cresce e torna-se um personagem bastante conhecido logo no começo da trama: o marido de Hanna Kahnwald (Maja Schöne) e pai de Jonas Kahnwald (Louis Hofmann) que cometeu suicídio.

Reprodução/ Netflix
 - Reprodução/ Netflix

Ao longo da trama, existem vários outros desaparecimentos de crianças que são raptadas em uma época e levadas para outra - falaremos disso mais à frente -, contudo, o de Mikkel é extremamente especial por um motivo: ela é a única que foi capaz de gerar impactos na realidade. Enquanto todas as outras crianças foram mortas, Mikkel não apenas casou, como gerou um descendente: Jonas. Isso faz com que, 33 anos após o seu desaparecimento, ele chegue no ponto exato em que sua versão jovem desaparecerá. A partir daí, restam duas opções a ele: evitar o próprio sumiço ou não interferir em nada e deixar o ciclo estabelecido como está. O problema é que, se ele impede que ele mesmo se perca no buraco de minhoca, todos os 33 anos que ele viveu até ali em sua versão mais velha desaparecerão - assim como Jonas. Seu suicídio certamente está ligado a esse questionamento e a segunda temporada deverá dar mais detalhes a isso.

Mais crianças desaparecidas e as máquinas do tempo

Como dito anteriormente, Mikkel é só uma das crianças que desapareceram no tempo - há algumas outras na conta. Um deles é Erik Obendorf (Paul Radom), cujo sumiço foi o que motivou o grupo de adolescentes a ir até a caverna acompanhado do jovem Mikkel no dia em que ele próprio some. Outro é Yasin Friese (Vico Mücke), cujo desaparecimento acontece poucos dias após de Erik e Mikkel e, é claro, não dá para esquecer o de Mads Nielsen (Valentin Oppermann), há 33 anos. Ulrich, o policial e pai de Mikkel, é o encarregado do caso de Erik e acaba emendando a busca do adolescente com a do próprio filho - é quando ele encontra o primeiro corpo desses jovens. A questão é que a identidade não é de nenhum dos jovens de 2019, mas o de Mads, seu irmão que sumiu há 33 anos, com a mesma aparência que tinha na época do desaparecimento.

E o que aconteceu com Erik e Yasin? Bem, os dois, assim como Mads, não encontraram um final feliz: o corpo dos dois foi encontrado em uma pilha de areia em 1953, antes mesmo da construção da usina nuclear. Há algumas particularidades tanto nos corpos de Erik e Yasin, quanto no de Mads: todos estão com os tímpanos explodidos e com os olhos queimados. Como foi dito antes, Mikkel foi a única criança a sumir sem acabar assassinada e isso só aconteceu em função do processo dela de viagem no tempo ter acontecido de forma diferente das demais.

Reprodução/ Netflix
 - Reprodução/ Netflix

Erik, Yasin e Mads também atravessaram o tempo através do buraco de minhoca, mas, ao invés de terem se perdido como Mikkel - ainda que as circunstâncias de sua passagem sejam nebulosas -, os três foram sequestrados para testes. Os nomes por trás disso são Helge Doppler (Peter Schneider) e o misterioso vilão Noah (Mark Waschke), um dos maiores mistérios da trama e sobre quem falaremos mais adiante. Os dois trabalham juntos em 1986 na criação de uma máquina do tempo - na verdade, Helge foi basicamente cooptado por Noah, que dirige tudo como um mentor, mas não coloca a mão na massa - e, para isso, fazem testes com cobaias humanas em um bunker. Como o projeto ainda não é funcional, os meninos sequestrados acabam morrendo um por um nos testes e são desovados em outras décadas para não despertar pistas sobre a dupla de sequestradores. A longo prazo, é claro, as coisas começam a se complicar.

Outros personagens viajando pelo tempo

Há duas viagens no tempo que são determinantes para o que é visto no último episódio. A primeira delas é a de Ulrich, o pai de Mikkel - desaparecido em 2019 - e irmão de Madds - desaparecido em 1986. O policial descobre tudo o que está acontecendo, inclusive que o corpo encontrado na floresta é do seu irmão. Ao longo dos episódios, a investigação dele vai se fortalecendo a ponto dele conseguir voltar para 1953 e tente matar Helge (Tom Philipp) quando ele ainda era criança inocente, evitando dessa forma que, no futuro, seu filho seja capturado por ele e morto - mas o plano dá errado. Não só Helge sobrevive, como Ulrich acaba indo preso em outra década.

Reprodução/ Netflix
 - Reprodução/ Netflix

A segunda viagem é do próprio Helge (Hermann Beyer). A versão do sequestrador já idosa, em 2019, está em um asilo, arrependido de todo o mal que causou às crianças. Após ser confrontado por Ulrich, ele decide voltar ao passado para tentar convencer sua versão mais jovem dos anos 1980 a interromper toda a ajuda que vem fornecendo a Noah. Mais uma vez, as coisas também não acontecem da melhor maneira e Helge não dá ouvidos à sua versão do futuro. Isso faz com que o Helge mais velho tente assassinar sua versão mais jovem em um acidente de carro - mas, na tentativa fracassada, só o Helge do futuro morre.

Passado, presente e futuro são uma ilusão

Após toda essa confusão de pessoas passeando - vivas e mortas - pelas décadas, há o ponto principal da história: a relação entre Jonas, o filho de Mikkel, e o viajante misterioso. Perto do fim, a série revela que o tal homem enigmático é o próprio Jonas (Andreas Pietschmann), que veio do futuro - ele é, curiosamente, o primeiro elemento cuja origem não está em nenhuma dos três anos-base da trama. Basicamente, o que ele faz é encontrar sua versão mais jovem e dar as diretrizes para que ele próprio consiga ter êxito.

Isso culmina na cena em que o Jonas de 2019 está preso no bunker onde Helge e Noah fazem suas experiências e sua versão do futuro aciona a máquina, abrindo uma fenda no espaço-tempo. Isso conecta o bunker onde o Jonas de 2019 estava preso com o lugar onde o jovem Helge de 1953 estava. Frente a frente, os dois se tocam e o resultado dessa interação é que Helge fica preso no bunker, prestes a se tornar uma experiência de Noah.

A expectativa plantada nesse ponto é clara: com Helge morrendo nas mãos de Noah ainda na infância, muita coisa mudaria tanto em 1986 quanto em 2019 - o próprio Helge não existiria mais e, em tese, as crianças não seriam sequestradas e mortas. O ponto é que, até o dado momento, todas as ações no passado já eram previstas no futuro: ação e reação aconteceram de forma simultânea na série. Não foi preciso que o Mikkel de 2019 tivesse sumido para que o público conhecesse Michael e Jonas no mesmo ano; a prisão de Ulrich em 1953 já estava documentada em 2019 também. O ponto da série parece ser justamente a jornada de Jonas, tanto o de 2019 quanto o do futuro, para conseguir quebrar o ciclo de repetições que operam de 33 em 33 anos.

Reprodução/ Netflix
 - Reprodução/ Netflix

O próprio Jonas do futuro diz para sua versão mais jovem do bunker, ambos em 1986, que já viveu aquilo, mas, em sua memória, estava do outro lado. Ele completa dizendo que não pode tirar o rapaz do bunker porque isso mudaria o futuro e que, se isso acontecesse, ele próprio não se tornaria o que era naquele momento. Isso leva ao ponto em que o Jonas de 2019 vai parar no fim da série.

O jovem o rapaz cai em uma espécie de futuro pós-apocalíptico onde, aparentemente, houve algum problema com a usina nuclear, vista de longe completamente destruída. Jonas é recebido por uma mulher que o cumprimenta dizendo “bem vindo ao futuro”, como se as viagens temporais fossem algo esperado por aquela civilização. Esse futuro pode ser 2019, completamente modificado por tudo que aconteceu no passado, ou uma época ainda mais à frente - 2052, 33 anos em um novo salto? As duas alternativas são instigantes: caso seja 2019, o futuro foi de fato alterado com as ações dos personagens; caso seja 2052, o público conhecerá o cenário de onde o Jonas do futuro veio.

Guerra pelo controle do tempo

Há ainda várias questões pairando sobre a identidade de Noah. A série introduz que o sequestrador está em uma espécie de batalha com Claudia Tiedemann (Lisa Kreuzer), a ex-chefe da central nuclear de Winden. O próprio Noah diz que ela é sua principal adversária na guerra pelo controle aboluto das viagens do tempo, o que abre espaço para especulações tanto sobre o acidente nuclear que criou o conhecido buraco de minhoca das cavernas quanto para as investidas dela na criação de sua própria forma de viajar no tempo.

Não está claro ainda até que ponto Dark é uma série maniqueísta, onde Noah seria o vilão e Claudia a mocinha. Assim como Noah manipula Helge, a mulher influencia o Jonas do futuro. Em 1986, Claudia (Julika Jenkins) nota que há alguma coisa de muito estranha acontecendo na usina nuclear após ter uma experiência bizarra. Já em 2019, ela está completamente diferente e desempenha um papel importante na jornada de Jonas ao entregar a ele uma espécie de manual para construir um dispositivo capaz de destruir definitivamente o buraco temporal usado na série. Para Noah, contudo, as intenções dela não são as melhores: ele diz que tais ações terão como maior prejudicado justamente o próprio Jonas.

Reprodução/ Netflix
 - Reprodução/ Netflix

Ainda sobre Noah, a própria identidade dele é um dos maiores mistérios da série. Ele é o único personagem que passeia pelas três épocas e é sempre interpretado pela mesma pessoa - até que se prove o contrário. Outro ponto curioso dele está na tatuagem enorme que ele carrega nas costas: trata-se de um símbolo chamado Tábua de Esmeralda, descrito por Hermes Trismegisto. Há muita especulação sobre Noah ser outro personagem da trama, assim como aconteceu com o caso de Mikkel e Michael: algumas teorias apontam que Noah seria Bartosz Tiedemann (Paul Lux), neto de Claudia e amigo (ou não) de Jonas.

O que se sabe até agora na trama é basicamente isso: Jonas é o ponto que será determinante da trama e tanto Claudia quanto Noah são peças fundamentais em um tabuleiro que conta ainda com nomes importantes como Michael e Ulrich. A primeira temporada introduziu como se manifestam as viagens no tempo utilizando o buraco de minhoca das cavernas e mostrou as demais investidas para controlar a técnica. O novo ano certamente mostrará as consequências de toda a confusão plantada até agora e o quão longe Jonas terá que ir para resolver todo o caos em Winden.

Todos os 10 episódios da primeira temporada de Dark já estão disponíveis na Netflix. Conversamos com os criadores da série - leia nossa entrevista aqui.

Leia mais sobre Dark

Dark
Estreia em 01/12/17 Produção: 2017
sobre a série
Galeria de imagens (1)

Nao Paulla. Quem se matou foi o pai de Jonas. O Mikkel que quando volta ao passado passa a se chamar Michael, e depois teve o Jonas.

Morreu? Acho que não. O cachorro é pego por pessoas misteriosas. Provavelmente o casal principal já com idade avançada. Mas o cão os reconhece.

Parece ser isso mesmo pois no final da temporada ele foi feito prisioneiro em 2052 e tem 16 anos.

É isso aí mesmo. Quando teremos a segunda temporada?

Muito bem!!!

Concordo com o Marcelo Linhares. No corredor há uma bifurcação. Falta assistir de novo e procurar saber para onde/ quando se vai para a esquerda ou para a direita. Isso abre possibilidades de viajarem para 1920, a partir de 1953, e para 2052, a partir de 2019.

Lembrem que o Aleksander/Boris tem uma cicatriz nas costas vista pela Hanna. E que o Mads sofreu uma queda antes de desaparecer durante uma briga com o irmão Ulrich e machucou as costas. Ele talvez não seja aquele cadáver. Aliás, porque ninguém pediu exame de DNA daquele corpo?

Sobre o livro, observem que o Noah entrega um exemplar em ótimas condições ao Bartosz. Este mesmo livro está nas mãos de Tronte em péssimo estado e com folhas arrancadas.

Acredito, pelo que disse a Charlotte, que os efeitos vão além dos três períodos mostrados (1953, 1986 e 2019) pois ela disse que há um ciclo antigo de 33 em 33 anos em que coisa estranhas acontecem.

Mas tem uma parte que mostra o Aleksander/Boris soldando a porta da caverna, a pedido da diretora da fábrica (Claudia). Provavelmente ele pode ter trabalhado na bifurcação.

Cara,eles tem que deixar algumas coisas soltas pra explicar na próxima temporada. E quando se trata de paradoxo temporal você nunca vai ter respostas absolutas. Porque tudo pode ser mudado por um simples ato, e uma coisa influencia outra em um tempo diferente. Afinal é um paradoxo.

E olha la q talvez essa unica ponta solta nem seja tão ponta solta assim, pois desde a hr q eu vi o Noah adulto eu me atentei q Noah poderia ser Bartosz

Mas quem cometeu suicidio foi o Jonas no futuro

Como Já disseram aqui, o Jonas foi parar em 1986 porque ele entrou por um caminho e o pai dele foi parar em 1953 porque pegou outro. Qual o jovem que você se refere foi sequestrado primeiramente? O Mads? Ele foi sequestrado em 1986 e serviu de cobaia naquela cadeira que é uma máquina do tempo que eles estão testando. A máquina não funciona direito, ele morreu e foi parar no ano de 1953. Ele é um daqueles garotos encontrado naquele monte de terra. O outro garoto morto que estava com ele lá no monte de terra, é aquele garoto mudo que tinha desaparecido.

Eu só me lembro do chefe da Usina usando.

LOL... na verdade chove ainda mais que na série. E mesmo tendo guarda chuvas aqui, a galera prefere casacos somente.

Sim, na verdade aqui chove mais do que na série... Guarda chuvas existem, mas as pessoas preferem casacos.

Ai chove a mesma quantidade que chove na série? E a pergunta que não quer calar: guarda-chuvas, existe? hahaha

E entender por que chove tanto! Todo episódio chove!

Ótima série. Agora, dizer que é fácil de entender já é deboche. Ela dá um nó na cabeça. Tem de prestar muita atenção pra gravar os nomes dos personagens e ligar a pessoa do presente com passado e futuro. É uma série pra saculejar o cérebro e fazer pegar no tranco. Tô assistindo pela segunda vez e ainda não entendi algumas coisas.

Boa tarde à todos! Nossa, pelos comentários dos especialistas no assunto aqui presentes no fórum, já vi que vou gostar muito da série! Sou aficionado em assuntos relacionados a viagens no tempo, wormholes e afins!

Sim,... a mulher é avó do Ulrich mas achei estranho a maneira como ele falou do ex marido.. eu acho que o buraco surgiu na déc de 80, pois em 50 a usina ainda era um sonho. E sabe que eu pensei... que a Cristina (acho que é esse o nome dela) a Dir. da Usina foi quem descobriu esse túnel e fez alguma coisa pra ela se tornar Diretora. Achei muito estranho o Helge ser mó rico, o pai levar a Usina para a cidade que com certeza foi um marco e ser um mero empregado...enquanto ela se tornou a bababam...suspeito..srsr

Os meninos sequestrados são levados para outro época pra não levantar suspeitas, já que sem corpos não há crime. A mulher que diz ser esposa de um pastor é avó do Ulrich Nielsen. O filho dela Tronte, é o pai dele e avó do Mikkel, que é pai do Jonas. Bizarra essas árvores genealógicas. kkk A sua teoria pode ter sentido, se eu soubesse em que data específica o buraco de minhoca surgiu naquela caverna, já que o Jonas do futuro diz que aquilo aconteceu por causa de um acidente que aconteceu na Usina. Se esse acidente aconteceu ainda na década de 50, então o Noah pode ter vindo de lá. Na primeira temporada eles explicam pq o buraco de minhoca surgiu ali, mostra o Noah fazendo experimentos de viagem no tempo, mas ninguém fala quem construiu aquela bifurcação na caverna, pq aquilo foi construído por alguém, já que tem umas portinhas.

Será!?? Eu fiquei na dúvida...desconfio que o Noah é da época de 1950 ...( lembra da moça que vai morar com o filho na casa dos pais da Claudia..Ela diz que o marido era padre, porém não era muito correto...)Nessa época ele descobre o buraco de minhoca e viaja no tempo. Em 1980 ele recruta Helge para tentar montar uma máquina ( me parece que todos os meninos sequestrados são levados para essa época).. e vai pra 2019 recrutar Bartosz ..acho que por isso ele não tem personagem nem história, família, etc, em 1980 e 2019..será que viajei..srsrsr

Desculpa mas vc não entendeu porra nenhuma da serie ! A unica ponta que ficou em aberto seria a identidade de Noah , vulgo algo que foi feito de proposito e provavelmente sera mostrado na segunda temporada !

Mas o Jonas do futuro tem uns 50 anos. Em algum episódio, é dito que ele tem 16 anos em 2019 e o Jonas do futuro diz que guardou a carta por 33 anos até passar a carta pra ele mesmo, isso significa que ele tem entre 49 e 50 anos. Mas se o Jonas do futuro é de 2052, ele ainda vai voltar para 2019, do contrário ele não seria de 2052, já que ele foi pro futuro com 16/17 anos e pra chegar na idade do Jonas do futuro, precisaria passar 33 anos, ou seja, 2085. Isso pode significar, que o Jonas do futuro é o Jonas que foi pra 2052 e viveu lá até 2085, ou seja, o Jonas do futuro é de 2085.

Uma palavra pra você: triquetra. Agora assista a série de novo e preste atenção, pois ele é simples de entender, não precisa de QI alto.

A série é simples de entender e diversas vezes ela é previsível. Dificilmente a série paga a pessoa de surpresa, pois a gente sempre descobre as coisas por conta própria antes da série revelar, como Mikkel ser pai do Jonas, o homem estranho ser o Jonas do futuro, as crianças sendo desovadas em outras épocas, entre outras coisas. Apesar da série ser muito previsível, ela é excelente. Mas uma coisa, que se for verdade vai ser mais um exemplo de como a série é previsível, é o Noah ser o Bartosz. Noah liga para o celular do Erik, sabendo que o Bartosz vai atender, como? Uma das opções que explica ele saber disso é ele ser o Bartosz. Outra coisa, no último episódio o Noah entrega aquele livro para o Bartosz, que parece ter algumas anotações. Algo semelhante acontece com o Jonas, quando ele do futuro entrega a carta do pai dele para ele mesmo.

Ele tem cicatrizes e não tatuagem.

Isso ocorre no segundo episodio, mas não há nada referente ao seu comentário, existe sim um tipo de cicatriz ou algo relacionado a machucado ou tortura, mas nada de tatuagem, pode até lembrar da tatuagem da tabua de esmeralda pelo contorno talvez, mas na minha opinião, nem de longe há relação.

Continue assistindo vale a pena cara e vc ficará ansioso pela 2 temporada

Pensei nisso tbm

Tem a questão do paradoxo tbm q pode explicar isso

Mas o futuro de certa forma foi alterado pelo mikkel, a serie é f#da

Tbm não sou fã dessa conversa não até pq tem filmes mal explicados q usam essa desculpa de reflexão, pra mim tudo q eu assisto presto atenção

Sério? Eu não lembro

Tinha esquecido do detalhe do suicídio q pode ter relação com a indecisão do personagem, é uma ótima série realmente vc tem a estar atento se não perde todas as surpresas e possíveis explicações com o pq do policial implicar tanto com o Ulrick jovem

Assista de novo, com mais atenção, lembre dos nomes. Você vai entender e gostar

Pensei a mesma coisa também, depois de a Agnes ter sido inserida em 1953 pela primeira vez.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. O fato de vc não gostar, não quer dizer que ela é ruim. A série não é confusa, é complexa, e se tornou mais complexa, pq vc não conseguiu a entender.

Não tem que manjar nada de física, mesmo porque a série parte de uma premissa absurda: a consequência pode anteceder a sua causa no tempo.

O que eu entendi da série é que passado, presente e futuro são indiferenciados... o presente pode originar a causa de um evento passado, o que é completamente absurdo, mas é a premissa da qual a série parte, que eu acho bastante interessante e artística, até. Não foi revelado, ainda, quem é o Noah, a que fim se destina a máquina do tempo e por que os grupos brigam. Eu só fiquei com a ligeira impressão de que viagens no tempo não eram uma novidade para ele. Como se ele conhecesse aquilo e dominasse para além da fenda aberta na caverna, como se ele já dominasse tanto a tecnologia quanto os eventos, como se fosse de outra época alheia às expostas, o que lhe permitia enxergar com mais precisão, sempre um passo à frente. Talvez ele fosse um agente de algum grupo de uma época distante e sua missão seja garantir que o passado sempre se concretize da mesma forma. As coisas também parecem tender ao determinismo, embora a inexistência de ordem temporal entre causa e efeito sugira o contrário.

Ninguém percebeu que o Jonas do futuro tem a mesma tatuagem do Noah, só que mais apagada? Isso fica claro quando ele se hospeda no hotel e fica de costas sem camisa.

Assista de novo, filho. Como dizem, seu QI está abaixo dos requisitos mínimos da série! kkkk

Assista de novo, filho. Como dizem, seu QI está abaixo dos requisitos mínimos da série! kkk

As pontas soltas que lá existem são óbvias. Tão óbvias a ponto de sabermos que são propositais. Não é necessário nem ensino médio pra perceber isso. Os tempos coexistem. Não adianta ler um Halliday ou Nussenzveig e achar que os "doutores" que você se refere são estúpidos.

Eu acho uma babaquice falar que precisa de QI pra gostar ou entender. Eu não me vejo dessa forma (alta capacidade cognitiva "abstrata", ao mesmo tempo sem sentido à qual vocês se referem) e consegui entender perfeitamente, bem como gostar da trama. É só prestar atenção. No mais, série excepcional até o dado momento. Vamos aguardar a próxima temporada.

Essa série é genial! Eu gostei muito mesmo. Pra gostar não tem jeito, tem que ter QI e manjar pelo menos um pouco de fisica. A teoria analisada é a que eu mais gosto, que viagem no tempo sempre vai ser um looping, que todas as decisões tomadas uma vez, vão ser tomadas novamente do mesmo jeito, da mesma forma. No fim das contas, é impossível mudar o futuro. Mas vamos aguardar a 2ª temporada. Sensacional!

Eu não gostei,horrível,uma série confusa aff... eu prefiro stranger things,

Jonas pega a bifurcação à direita no tunel e Ulrich pega à esquerda. O jovem ruivo morre, o corpo dele é encontrado com os olhos queimados em 1953. Vc não prestou atenção direito nos detalhel enquanto assistia. Assista novamente

A principal teoria que a serie usa é que o tempo não é linear, e com isso tanto o passado pode mudar o futuro como o futuro pode mudar o passado, foi o caso do Mikkel que foi pro passado e mudou o futuro

Blz

*Ansiosa

A partir do 5 ep que muitas coisas começam a ser explicadas....continua mesmo. kkkk Essa complicação é que faz dela ser uma baita série. kkkk

O Ulrich vai para 1953 porque ele entra em outra porta...a de 66 anos atrás..Quando Jonas entra ele pega a porta da direita que é a de 1986. Isso foi simples.

Pretendo continuar a assistir vms ver..✌

Kakaka vou voltar a assistir ainda

É justamente o fato de ela ser tão complicada que a torna tão interessante. Você perdeu uma baita série, velho.

Dá a entender isso, mesmo. O grande lance dnisso tudo, é que os criadores da série querem que achemos exatamento isso.

Cada um tem uma impressão diferente. Se essa foi a sua, eu respeito, mas lhe adianto que não é bem assim. Na verdade, você não entendeu a série, por isso achou que havia pontas soltas. Talves, se assistir novamente, o seu entendimento passe a ser diferente.

Porque lá não é como aqui, onde há quatro camelôs por metro quadrado vendendo um guarda-chuva por R$ 5,00 e dois por R$ 15,00.

O que pra mim é pouco convincente é o fato de ele saber quem era , ter crescido na mesma cidade, ao lado dos pais e nunca tê-los procurado ou dito quem ele era. Outra coisa, havia uma foto dele na foto da escola de 1987, será que os pais nunca viram a foto, afinal todos sabiam como ele era quando criança. Outra coisa que parece forçado, tanto Mikkel, quanto Jonas, voltaram para 1986, porque o pai dele voltou para 1953 numa há uma lógica clara para isso. Só questão de fomentar o roteiro da história. E o jovem que foi sequestrado primeiramente nada mais se fala dele no restante da história. Sei que essa discussão é bobagem, até porque se trata de uma obra de ficção improvável. Bom. Vamos esperar a 2ª temporada. Que cada um perceba como quiser, até porque, não vai fazer diferença mesmo.

Vi seu comentário abaixo sobre o Michael não poder ser pai do Jonas. O problema é que você está usando regras de outros universos para Dark que tem suas próprias regras. Em Dark passado presente e futuro coexistem . Eles até brincam com a questão do "ovo ou a galinha" que vem primeiro? da mesma forma Michael e Jonas quem vem primeiro? É como se os dois sempre existiram, a proposta da série é essa.

Assisti, gostei, não entendi quase nada, li aqui clareou um pouco, assisti videos e clareou mais um pouco, resumindo... vou assistir de novo

A série não acabou, como pode afirmar se são pontas soltas ou enredos omitidos intencionalmente e que ainda serão revelados?? É apenas a primeira temporada...

Não vi ponta solta nenhuma. Pode até ser que algumas coisas não ficam claras, mas sabemos que há uma segunda temporada para esclarecer melhor. Creio que não entendeu mesmo. Essa série é maravilhosa! Os dramas das familias também foram muito bem explorados. Os atores, em sua maioria, são ótimos.

Leia o que escrevi na resposta.Talvez te ajude a entender..Tudo é muito fácil.O que vc chama de “ponta solta” 😂😂😂 é o que vc não conseguiu fazer a conexão.O resto é o mistério da própria série. Se ficou difícil entender quem é quem assista de novo é igual na escola repetiu de ano volta a estudar de novo...kkkkk. Mas é bem fácil entender vc vai ver....

😂😂😂😂😂😂😂 É pq as personagens passeiam pelo tempo e acabam encontrando as versões jovens dos seus antecessores e até mesmo eles mesmos quando jovens....Entendeu agora??..

Acabei de assistir a temporada.Simplesmente maravilhosa..Cheia de mistérios, teorias da física e conexões temporais. Precisa ter QI para gostar.Sensacional.Os Alemães são sem duvida muito superiores aos americanos no quesito mistério.A melhor série dos últimos tempos.Anciosa para a segunda temporada.💕💕💕💕💕💕💕💕

Isso é o exemplo de uma ponta solta que os inteligentes da omelete dizem não haver na série.

Dizer que Dark não tem ponta solta só mostra pra mim a presenção de quem acha que sabe tudo. Continuo afirmando tem tanta ponta solta que só uma pessoa muito pouco inteligente afirmaria o contrário. Trata-se do enredo, foi feito sem certos cuidados. Mas se os "doutores" querem dizer que não tem fique com eles quem quiser. mas que tem ponta solta tem. E não são poucas.

Meu único questionamento é: Por que ninguém usa guarda-chuva nessa série?

credo,,, so pq é complicado vc nao quer ver pra nao cansar os neuronios?

não cara, nao tem ponta solta ,, desculpa mas vc que nao entendeu,,

O tom frio, triste e um universo talvez até indiferente e preso é uma característica muito boa da série

Rapazzzzzzzzzzzzzzz, eu não tinha reparado nisso o/

Mikkel foi parar em 86, lá ele se dizia vim do futuro e se acostumou com a ideia, ele cresceu, casou com Hanna e tiveram o Jonas, Ele viveu todo esse tempo, ele nunca deixou de ser o menino do futuro, até o ano 2019, que foi exatamente o ano em que ele desapareceria (sua versão jovem), ele poderia mudar a história, mas resolveu se suicidar, para que a sua versão jovem pudesse voltar ao passado e recomeçar tudo novamente. Mikkel (versão adulta) sabia a hora e o dia do desaparecimento, por isso deixou escrito na carta, que a mesma não fosse aberta antes do determinado dia e hora ( Para que assim ninguém pudesse interromper o seu desaparecimento). Acredito tbm que o mesmo se suicidou para salvar Jonas, assim a sua versão jovem, volta no tempo, casa com hanna e Jonas nasce. Caso não houve-se o seu o desaparecimento em 2019, Mikkel não conheceria Hanna em 1986, logo Jonas, nunca nasceria. Hehe cara foi isso que entendi até agora, estou no 5 episódio , se eu estiver entendendo errado me corrige.

Queria saber uma coisa (se for idiotice desconsiderem) Mas como Mikkel é pai de Jonas se eles viveram na mesma linha temporal? Mikkel é uma criança, e Jonas é mais velho, eles se conhecem, e Jonas ja existe, como Mikkel foi parar em 86 pra depois o Jonas nascer? alguem me explica.

Exatamente... você disse tudo agora! Tudo que acontece ou aconteceu (no "futuro") já havia acontecido (no "passado"), por isso, não dá para mudar o tempo, porque TUDO que você vai fazer, você JÁ FEZ! Inclusive, por coincidência, estou no final da 1ª temporada de "Os 12 Macacos" na Netflix. Aconselho à galera que gostou de Dark, começar a assistir essa, para ficar mais fácil entender todo o processo temporal de Dark.

Também pensei isso, mas o Bartosz não tem olhos azuis e aparenta não ser tão alemão quanto o Noah.Voto na teoria de que o Noah é tetravô do Jonas ._.

Achei decepcionante. A série deixa muitas pontas soltas. A certa altura percebe-se que os roteiristas ou autor se perdeu no emaranhado de pontas que tentou puxar. A ideia em si é muito boa,mas merecia um trabalho de roteiro mais apurado. O fim da 1ª temporada acabou não explicando muita coisa. A sensação para mim ao fim do último episódio é que não deram conta daquilo que se propuseram. Quem sabe no futuro? Não é mesmo?

Sobre a Franziska (a ruiva), o fato dela ter muito dinheiro escondido e o Magnus ter encontrado o colar dela perto do colchão com camisinhas me deu a entender que ela se prostitui.

Eu não sei por que, mas acho que o Noah é o avô do Ulrich porque no episodio 09 a Agnes diz que era casada com um pastor e que ele não era um homem de muita fé e depois ela diz que ele não era uma boa pessoa. Depois destas palavras aparece um dialogo entre Greta Doppler e Noah.

Na minha cabeça ele é o Bartosz, por isso não envelheceria.

A claudia é de antes de 1953 pois não falaram sobre esse tempo, me corrige se eu estiver errado, ela é viajante no tempo, mas sim pela fenda da usina, faz muito sentido sim ela ser velha demais em 2019, ela também guarda muita coisa, acho que ela é uma viajante no tempo tanto quando noah. O noah não envelhece por que ele não para de viajar no tempo, sério, só que a diferença é que ele viaja pela máquina que ele e helge criaram, ou seja muito diferente da fenda, ele viaja toda hora sem ter problemas com envelheciemento e tals

É uma ótima série, mas tem muitos misterios ainda, não decorrei o nome dos personagens, mas a ruiva? que tem um caso com o filho do Ulrich, o que ela vai fazer la na floresta? E a Hannah que em 1986 achou o pacote com ID falso do dono da empresa de energia nuclear e usou isso contra ele, será que ele vai destruir Ulrich, já que agora ele conversou com aquele que tem o olho machucado na delegacia pedindo todas informações possíveis. e a Claudia de 2019 que tem que explicar as coisas pro terapeuta e pro pai do Ulrich e do Mads, é muito mistério que ainda não foi resolvido, eu chegava a ter que pausar a série pra ficar pensando quem era quem...

Por que que a Claudia, de 1986, envelhece demais em 2019? A Cláudia velha que aparece em 2019 é de 2019 mesmo? Achei o envelhecimento dela nesse período além do normal. Será que só eu percebi isso??? Outra coisa: por que o Noah não envelhece?

Só vi o titulo e achei que fosse uma adaptação de "The Darkness" já ia correr pra assistir kkkkk.

O que o Jonas vai mudar? Como o próprio Noah falou, o que ele faz e causar o próprio lupim da vida dele... Isis foi o que eu intendi... A série mostra que nada pode ser mudado tudo já está predestinado, então a segunda temporada vai nos mostrar mais sobre esses desdobramentos. Que é interessante é viuu...

Tao complicada que parei no quarto episodio kkkk

Amigo Josias, as ondas gravitacionais foram detectadas em 2016, portanto a teoria da relatividade de Einstein é 100% verdadeira, comprovando que é possível a viagem no tempo... o que nao temos é tecnologia para tal... mas sim é possivel se for criado circunstancias para tal.

Típico de quem não assistiu porra nenhuma

Uma coisa que me leva a crer que no final, a história continuou se repetindo, é pelo fato do bunker com as fotos de todo mundo ter sido mostrado diversas vezes durante o decorrer da série, inclusive Cláudia já esteve lá observando as fotos, cena mostrada antes mesmo de sabermos que Jonas iria parar lá após tocar Helger no final da série. Durante toda a série fiquei me perguntando "Em qual data está aquele bunker?". Tudo isso me leva a acreditar que a cena final realmente é de 2052, num futuro 33 anos depois de 2019 e que mais uma vez, toda a história já estava predestinada a acontecer e tudo apenas se repetiu.

"Ao longo dos episódios, a investigação dele vai se fortalecendo a ponto dele conseguir voltar para 1953 na tentativa de matar Helge (Tom Philipp) quando ele ainda era criança inocente" Apenas uma observação: a intenção de Ulrich era de seguir a versão idosa de Helge. Ele não tinha ideia alguma de que iria parar em 1953, muito menos encontrar a versão jovem daquele. A intenção de matar o garoto veio após essas coincidências. Portanto, ele não viajou ao passado deliberadamente com o objetivo descrito no texto.

Discordo. Na verdade o que eu vi foram pessoas em ambos os lados e todos com propósitos. De um lado temos um cara que sacrifica criancas, e isso pode caracterizar ele como sendo do lado do "mal", mas como seus propósitos nao foram explicados, eu nao o caracterizo como tal. De maneira similar, nao vi ninguém na verdade querendo parar o cara, mas somente tomar o controle do que está acontecendo o fechar a fenda aberta permanentemente, o que nao caracteriza o "bem" uma vez que alguns deles tem motivos bem egoístas para tal. Dessa forma, eu vejo eles bem mais em 3 dimensoes. Tipo, um cara do "bem" tentou matar uma crianca. Outro, impediu uma crianca de voltar para os pais por auto-preservacao. Ou seja, ninguém ali é santo, na minha opiniao.

Todo mundo tentando analisar o tempo, a chuva ácida, a galáxia, a química, a física, Einstein... isso é bacana e interessante pois era isso que os autores da série queriam. Entendo é nada de artes cênicas porém é notório pra mim que gosto de séries/filmes a diferença da "pegada" alemã na obra, achei sensacional assistir algo fora do eixo USA/Brasil. É pesado, pouca luz, sombrio e extremamente frio, tanto atores como a personalidade do povo em si. Gostei demais dessa série.

Na minha humilde opinião, Dark é um primor de narratividade. É muito, mas muito difícil mesmo construir uma narrativa tão complexa como aquela, sem que ela acabe no rótulo de complicada e/ou confusa. Me lembro do pensador francês Edgar Morin, quando disse que complexidade não é o mesmo que confusão. E quando assistimos à Dark com o cuidado e a atenção que a série merece, vemos uma complexidade (e não uma confusão) que se tece na composição simultânea de histórias individuais e coletivas, em tramas que se entrelaçam de tal maneira que indicam que os roteiristas tiveram calma e audácia em construir uma narrativa que não é para estômagos acostumados a histórias fast foods. Se a narrativa por um lado é lenta, por outro premia aqueles que se arriscaram a pensar junto com a série. Ela é tão redondinha e honesta, que mesmo alguns "segredos" revelados nos episódios finais podem ser intuídos já no meio da história por aqueles que se atentaram à trama, porque fazem sentido dentro da lógica narrativa. Tudo me indica que essa série não é duas coisas: 1) não é um LOST (que, a exemplo de Arquivo X, criou mistérios nunca desvendados); 2) não é Stranger Things, pois a "pegada" de Dark é muito mais tensa e densa..., enquanto Stranger Things se aproxima mais de Goonies e ET (no ritmo narrativo e no foco nos adolescentes), Dark está mais para um dos melhores romances de Stephen King, ou mesmo um ótimo episódio de Black Mirror.

Que bosta

Da sim para entender perfeitamente o "Arco principal" sem explicações....mas não tem pontas soltas? Referências? Fala sério ne, chega a ser cômico falar isso, se forem detalhar tudo, das falas dos personagens, das referências de grandes nomes (e teorias dos mesmos), de todas as imagens.....eu que assisti uma única vez, ainda por alto, conseguiria escrever um livro. Vc deve ter assistido a série de maneira errada, e focado somente na história das famílias, e eram os detalhes que faziam toda a diferença......chegava a ser incrível todas as teorias que se poderiam montar ao fim de cada episódio, ou ao fim de cada "diálogo de impacto". Acho que você precisa revisar o final, cômico ? Sério ? Eu achei mt, mas mt intrigante. A explicação do padre/noah não se baseia somente em haver um lado do "bem" e um lado do "mal". Algo que senti falta de terem citado nessa explicação era aquele livro que o noah carregava, com todas as explicações sobre tudo o que iria acontecer, e o que ele deveria fazer, uma espécie de manual.....e continuando, a explicação de noah é que tudo aquilo se baseava num paradoxo, que tudo estava predeterminado, e que era dever dele que aquilo sempre, sempre acontecesse do msm jeito, que o ciclo continuasse infinitamente.....pq caso aquilo ñ ocorresse detalhadamente daquela maneira, jonas nunca teria aberto o buraco de minhoca......e como a série sempre diz, o futuro altera o passado, ñ existe amanhã, é tudo um ciclo, tudo está ligado..... Noah seria uma espécie de agente temporal que garantiria que a ordem das coisas ñ se alterasse ? Quem entregou o caderno com todas as instruções pra ele ? O "eu" dele do futuro ?

vc é adolescente chato pra caramba.

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus