Dark
Séries e TV - Suspense, Horror
Dark (2017)
(Dark)
  • País: Alemanha
  • Classificação: Não definido
  • Estreia: 1 de Dezembro de 2017
  • Duração: indisponível
    Criação:
  • Elenco:

Dark - 1ª Temporada | Crítica

Com temáticas maduras e cheia de reviravoltas, série acerta em trama que desafia noção de tempo

Dark, primeira produção original alemã da Netflix, estreou envolta em mistério, mas com a premissa de ser uma das séries mais sombrias do serviço de streaming - e conseguiu o feito nos dez episódios da primeira temporada. Criada por Baran bo Odar, que dirige a maior parte dos episódios, e por Jantje Friese, responsável por assinar o roteiro da série, Dark é uma ótima pedida para quem gosta de ver histórias de ficção científica sendo usadas como pano de fundo para questões filosóficas. A primeira temporada vai fundo nisso ao debater noções de passado, presente e futuro através de uma ótica pouco ortodoxa enquanto reflete sobre algumas das principais questões que permanecem sem resposta fora da ficção: de onde viemos e, principalmente, para onde vamos?

A história se passa na cidadezinha pacata de Winden, um município industrial alemão cujo maior destaque é sediar uma usina de energia nuclear que, na história, está sendo desativada. O espectador é apresentado a personagens com grande potencial de desenvolvimento só pelo que carregam de bagagem, como o jovem Jonas Kahnwald (Louis Hofmann), que carrega a angústia de não entender o suicídio do pai ou sua mãe Hannah, (Maja Schöne) que vive um caso proibido com Ulrich Nielsen (Oliver Masucci), homem que entra em uma jornada atrás do filho desaparecido. Conforme a história vai avançando, a trama evolui e o espectador é introduzido a uma dinâmica onde passado, presente e futuro coexistem de forma não necessariamente linear.

A série de fato é sombria e as comparações que veículos como Vulture e The Guardian fizeram ostensivamente com Stranger Things fazem muito mais sentido no ponto de partida da série que no decorrer dela - há de fato a premissa de uma criança desaparecida de forma que beira o sobrenatural servindo como base da série, mas a história não se sustenta só nisso. Há outros elementos que se convergem com esse sumiço e que são fundamentais para a trama, como o surgimento de um corpo na floresta e os rastros misteriosos deixados por um homem que cometeu suicídio. Enquanto a série dos irmãos Duffer cativa pela amizade e pelo afeto entre os personagens, Dark se torna interessante pela forma como seus protagonistas externalizam os efeitos de seus traumas - e, dito isso, sim, Dark é infinitamente mais sombria que Stranger Things.

Um aspecto da série que pode gerar problemas de compreensão, além, é claro, da própria trama principal complexa, é a quantidade de personagens. Ainda que a série não deixe a impressão de ter ninguém exatamente sobrando, em 10 episódios muita gente das quatro famílias principais é apresentada - só dos Nielsen, por exemplo, são oito personagens. Além deles, há os Kahwald, Tiedemann e os Doppler. O roteiro da série faz um bom trabalho criando personalidades sólidas para cada um deles, mas, em alguns momentos, um guia com as árvores genealógicas de cada família seria bastante útil para lembrar de onde veio cada personagem - o curioso é que até mesmo essa confusão soa coerente com a proposta da série.

Em relação à parte técnica, o saldo é positivo, mas há aspectos que se sobressaem em relação a outros. Existe um cuidado detalhista, por exemplo, na fotografia da série: o clima sombrio é alimentado por uma iluminação fraca e azulada sendo contrastada por cores fortes, garantindo um ambiente melancólico quase o tempo todo; as locações externas do interior da Alemanha também caem como uma luva para a proposta visual do programa. Por outro lado, ainda que tenha uma trilha sonora excepcional, a série peca um pouco ao pesar a mão nos recursos sonoros para assustar de forma muito óbvia o espectador em vários momentos - fica a impressão de que a trama por si só não sustentaria o terror sem fazer tanto barulho.

O grande mérito de Dark está em conseguir acertar a balança da complexidade: a série não é fácil de entender, mas entrega perguntas e respostas na medida certa para não ser impossível de ser compreendida. O ritmo, nem tão rápido e nem tão lento, é ideal para não sobrecarregar o espectador de informações e o desfecho consegue ser simples sem ser óbvio - pelo contrário, é surpreendente. Jantje Friese e Baran bo Odar - leia aqui uma entrevista com a dupla - conseguiram concluir bem o primeiro ano e deixar boas expectativas plantadas para uma segunda temporada. Ainda que a série tenha sido comparada exaustivamente com Stranger Things, há elementos suficientes para quem é apaixonado por produções como Arquivo X e De Volta Para o Futuro, por exemplo. Dark é uma série com temáticas maduras e é cheia de reviravoltas - é difícil não se sentir motivado a devorar a série de uma vez só e ficar horas depois pensando em tudo que foi apresentado por ela.

Nota do crítico (Ótimo) críticas de Séries e TV
 

Pode até ser, mas seria a primeira criança do sexo feminino a realizar tal feito até então. É claro que temos a Claudia... mas essa já não é uma menina e, ao que parece só descobriu a viagem no tempo depois de adulta. O que torna a série interessante é possibilidade de criar inúmeras teorias para cada segredo/mistério que é apresentado. A cada situação imaginada, tudo muda.

Ora, parece que temos um Sheroque Romis aqui...

Essa "falta de carisma" é proposital. Primeiro que o clima da cidade em si é melancólico. A cidade é envolta em dramas e segredos, então as pessoas claramente não são felizes lá. Segundo que é uma questão de abordagem. Não faria sentido o povo todo alegre fazendo piadinhas com tudo aquilo acontecendo em volta deles. Stranger Things, por exemplo, é carregada pelo carisma dos personagens, mas é uma escolha dos produtores e até um diferencial da série.

Perfeito

Tbm pensei nisso ótima série

E a revelação de q o viajante está mantendo o presente constante sem ele mesmo ter ideia como o noah explica q f#da

Tbm não achei terror concordo com vc é suspense

Olha não duvido mas não pensei nisso

Eu daria 5 ovos, tbm pensei nisso agora o viajante fui me dar conta de quem era no começo do 9 episódio

Adorei a série e as teias de tempo entre famílias,a revelação de q o viajante está mantendo o presente constante, e até o 8 episódio nao tinha me ligado quem era o viajante depois, q bom ver uma série de outra nacionalidade e no mesmo nível da americana, netflix tá f#da

Acho que infeliz foi a sua comparação me desculpe...não teve nada a ver o comparativo que vc fez....eu só achei que os personagens/atores não transmitem carisma, isso poderia ser corrigido com escalação de elenco ou outro tipo de direção deste.....além da frieza excessiva de alguns personagens frente a alguns acontecimentos que ocorreram na série....

Com certeza.Nao queira comparar comportamento de brasileiros com o de alemães. Aqui político e o povo rouba ,ou no mínimo sempre são um jeito pra consegue o que querem mesmo de forma ilícita enquanto que os alemães respeitam as leis e procuram cumpri -las.Comparaçao infeliz ,essa sua.rsrsrs

Perfeito seu comentário! Gostei muito de Stranger, mas depois que vi Dark, onde leva a profundidade ao ápice, Stranger fica bobinho...

Falta de carisma? Acho que é porque você está acostumado com produções americanas. Um ou dois episódios é suficiente para acostumamos com o estilo europeu que, aliás, é bem melhor, em minha opinião, distante da superficialidade americana, e, longe, muito longe dos dramas mexicanos surreais das telenovelas brasileiras, da qual me enoja. Dark é muito foda! É a minha preferida! Questiono a sua opinião sobre a falta de carisma dos personagens, primeiro que não existe, segundo que você usa isso como fato verídico para justificar o que na verdade é característica cultural. Agora se você não gostou aí tudo bem, fazer o quê!

Achei mais parecida com LOST

Vão gostar de andar a pé na chuva lá no inferno... Hehehe Nem levantam o capuz. Mas gostei da série

Nota 7 de 10. E nada a ver esse nome de Dark para a série, forçado demais. Winden seria um bom nome, pois tudo gira em torno do lugar e da usina nuclear que está lá. O que se destaca mesmo são as Mercedes e os Audis que aparecem. E a VW Quantum do Helge haha. Esperava mais do final.

Ótima crítica. Roteiro complexo e bem estruturado, a série te obriga a pensar e exige a atenção do telespectador do começo ao fim. Na minha humilde opinião uma das melhores produções de 2017.

Terminei agora ... Série ótima ... Merececido 4 ovos ... Concordo com a crítica, pra mim, o maior problema é o excesso de personagens. Acredito que o Noah é o amigo (não lembro o nome) do Jonas.

Melhor comentário hahahahhahah Acho que percebemos que eles só servem para serem perdidos e desencanamos de usar rs

À cada cena eu achava que estava tendo um "Déjà vu", mas eram lembranças de Donnie Darko... Mas, ainda assim, uma ótima série. E a crítica do Rafael... muito boa!

"Ainda que a série tenha sido comparada exaustivamente com Stranger Things, há elementos suficientes para quem é apaixonado por produções como Arquivo X e De Volta Para o Futuro, por exemplo." ótima crítica

É uma serie excelente, porem esperava mais do final... Aguardando a 2º temporada.

O unico e grande problema dessa serie, e a falta de carisma como um todo...sei que o clima sombrio, melancolico e com "cara de poucos amigos" e ate proposital pelo que se propoe a trama, mas achei impressionante a falta de carisma dos personagens/atores, fotografia, cenarios (cansa ver 3,4 cenarios repetitivos por durante 10 episodios)...assisti ate o final porque a premissa e interessante mas a falta de carisma e empatia que parece que forçaram para a serie nao ter e ficar com um clima serio constantemente, acabou me incomodando bastante. Fora tambem que ha um choque ai cultural pois ha comportamentos inverossimeis(pode ser do Europeu por ser mais frio) de alguns personagens como o descaso total da familia do menino que desapareceu (com exceçao do pai porque a mae ficou mais preocupada com a amante do marido)....enfim, nao e ruim mas tem coisas muito melhores na Netflix para ver

Não gostei da série, mas estou ansioso para acompanhar a segunda temporada. Quero saber qual é o proposito do Noé, o significado do número 33, como ficará a situação do Helge já que sua primeira fase da "trindade temporal" se fechou.

Talvez o seja, mas a diferença entre os personagens - principalmente a cor dos olhos muito diferente - me faz pensar que são distintos, uma vez que a acurácia estética da série é louvável e julgo improvável que não atentassem para tal fato. Creio ser mais plausível o mesmo ser marido da Agnes Nielsen, que menciona o marido morto - embora não saibamos a veracidade dessa fala. Tal marido, segundo a mesma, possuía um cargo religioso, embora não fosse um homem de fé. E, vale lembrar, Noah é um padre ateu. Obviamente tanto eu quanto você podemos estar errados em tudo que pensarmos e a segunda temporada mostrar o quão tolas são nossas percepções. kkk

Obviamente o Alexanderz é soviético, veio da Alemanha oriental (lembrando que a Alemanha só foi reunificada em 1990), aparentemente ele parece ser apenas um fugitivo mas ele insistiu muito para trabalhar na usina...

Acredito que todos na trama possuem segredos, alguns foram revelados mais muitos outros não, A Franziska por exemplo se prostitui para ganhar dinheiro para deixar a cidade que ela tanto detesta, provavelmente um de seus clientes é alguém importante na na história, tem também a Bernadette (travesti) que com certeza sabe muitas coisas, a próxima criança a viajar no tempo vai ser a Elizabeth.

E eu daria nota máxima para a serie.

Eu gosto bastante da serie , mas não acho que é de terror , e sim acho que é de suspense.

kkkk muito parecido com stranger things? vc tá é influenciado por mentes pequenas q fizeram essa comparação.

não vi elementos semelhantes, tirando uma criança sumir o q já é diferente pq em dark são varias crianças. E sim, analisando friamente, dark é melhor q stranger things.

muito simples comissário, noah vem de outra linha, ele avô do pai do michael, ele não envelhece pq nós vemos ele em várias linhas temporais , ou seja, ele anda entre elas no tempo dele, assim como vários outros, não há nada de estranho nisso. o jonas está do mesmo jeito em 19 e em 86, quando volta pra 19 ele continua com a mesma idade, ou seja, o tempo tb não passou pra ele só pq vimos ele em linhas diferentes.

alexander é um espião russo.

Pra mim ficou algumas dúvidas, como a Cláudia descobriu o buraco de minhoca? O Alexanderz da a entender que veio de outra época também, já que ele tem dois passaportes com nomes diferentes. Enfim esperando a segunda temporada.

Deduziu é ? Duvido que você consiga explicar tudo que ocorreu na série, quem é Noah, quais as motivações de alguns personagens, etc etc.

É que o Jonas mais velho acredita que pode mudar a história (tem um episódio em que ele fica conversando sobre isso com o relojoeiro). Não sei se é a melhor imagem, a do tempo como algo circular. Pode até ser. Mas me parece que o tempo não existe isolado do espaço, então temos sempre tempo-espaço, e todo tecido espacial é também tecido espaço-temporal. Então, como o espaço-tempo sempre existe, ele existe sempre em sua totalidade e ao mesmo tempo! E seria por isso, pelo tempo ser espaço-tempo, que se pode viajar nele (assim como viajamos no espaço). Porém, a viagem no tempo só poderia ocorrer por meio de um buraco de minhoca, que é um fenômeno que faz o tecido espaço-temporal se dobrar nele mesmo, de modo que podemos saltar, sem envelhecer, de um espaço-tempo para outro (como, digamos, de 2019 para 1986 etc). Enfim, pode estar tudo errado, mas é fato que a série deixa a gente pensando e viajando muito. Grande série!

Vou tentar explicar (tendo como base a série e outros filmes de ficção científica). É porque pensamos no tempo como uma grandeza linear e abstrata (começo, meio, fim), uma mera referência de contagem, algo que passa, passou ou vai passar etc. Só que a tese da série é que o tempo é um tecido permanente (eterno) e constante, junto com o espaço - ou espaço-tempo. Então, de fato, você não pode existir em dois lugares ao mesmo tempo - pense no espaço-tempo como uma folha de papel, em que está num ponto A situado numa extremidade da superfície; vc não pode, ao mesmo tempo, estar em A e num ponto B situado na outra ponta do papel. Agora, pense que o ponto A é o espaço no ano 2018. E que o ponto B é o espaço no ano 2028. De novo, você nunca poderá estar com sua versão dez anos mais velha em um mesmo espaço (o espaço-tempo 2018 é diferente do espaço-tempo 2028). O que o buraco de minhoca faz é "curvar" o tecido espaço-temporal. Se o espaço-tempo fosse aquela folha de papel, o buraco de minhoca faria o papel se curvar ou se dobrar até que o ponto A coincidisse com o ponto B. Aí, se você passar por ele, a sua versão de 2018 pisará no mesmo espaço em que sua versão de 2018 vive.

O Noah é o mais misterioso: ele não envelhece, embora surja em todos os tempos

Acho errado comparar com Stranger Things, depois de Dark, Stranger Things parece coisa de criança mesmo ...

João, achei muito interessante seu ponto de vista. A série chega a falar que o tempo é circular, mas acho que no sentido de que o futuro influencia o passado tanto quanto o passado influencia o futuro, não no sentido de ser um ciclo imutável. Tanto que o Noah tem que assegurar que tudo aconteça como antes; se o ciclo fosse imutável, não haveria essa necessidade. E a Claudia também tenta mudar as coisas, ou seja, ninguém acha que há essa imutabilidade/predestinação absoluta. Uma das metáforas da série é a história do Labirinto, do Minotauro e do fio de Ariadne, que é a peça interpretada pela tia/crush do Jonas. O tempo é não linear (passado, presente e futuro são partes de um todo que se influenciam de várias formas), e funciona como um labirinto. O Jonas do futuro tem que garantir que certas coisas aconteçam no passado, para que ele próprio possa, no futuro, tentar se encontrar nesse labirinto temporal e consertar as coisas. Pode haver mudança e reescrita, mas isso é muito mais complicado do que parece, dada essa não linearidade. O Jonas do futuro tentou reescrever o passado, mas deu de cara num muro do "labirinto do tempo" e não conseguiu dessa vez. Foi isso que eu entendi, pelo menos.

O Obendorf é um dos meninos que aparece morto perto da usina em 1953. Foi sequestrado por Noah e Helge para ser cobaia na máquina do tempo deles. O outro é o Yasin, o menino surdo-mudo.

Cara vc voltou no passado quando comecou a assisitir de novo isso vai criar outra linha do tempo kkkk

Acho que o Jonas velho era o mais pra trás na corrida, tanto é que deu a entender que se foi. A Cláudia deve estar morta agora que o Jonas novo foi pro futuro e o Noah é o grande mistério já que o tempo parece não fazer efeito nele, o cara é o único que não envelheceu a série toda.

Jonas provavelmente achará que será diferente quando chegar o momento dele, não lembro se ele sabe exatamente o que o Jonas do futuro ia fazer. Aí abre margem para que terceiros o manipulem com falsas esperanças uma vez que sua antiga versão do futuro falhou, como o Noah sugere que a velha fez.

Os Helges adulto e velho também ficam transitando pelas épocas. Helge criança deverá sim ser encontrado em seu ano de origem.

Helge e Jonas não devem ser os únicos. Naquele momento, fim da temporada, eles foram os primeiros após inúmeras tentativas fracassadas (talvez propositais) do Noah. Aparentemente, como o próprio Noah diz, "a bomba" contribuiu criando uma singularidade que era a peça final para a máquina funcionar perfeitamente. Mas isso não quer dizer que o Noah não tinha uma máquina que funcionasse, pois não sabemos a cronologia das aparições dele. Com certeza o Noah que vemos no final já a tem e as ações dele ali são apenas para que a linha temporal não mude. Por isso ele garantiu que as crianças seriam cobaias que seriam encontradas mortas. Não só ele quer garantir que certos eventos aconteçam, Jonas e a velha também. Não se sabe quem é Noah. Helge deve ter sido jogado pra escanteio após receber a cicatriz e quem sabe o que aconteceu depois. As demais questões ficam para a próxima temporada.

Eu adorei a série , vi em um dia. Eu adoro esses temas de viagens no tempo e que na série eles foram usados para tratar de temas como religião, o Noah é um ''padre'' que não acredita em Deus , ele usa a religião para ter credibilidade e envolver o Helge para que este atraia crianças para que Noah continue seus experimentos de viagem no tempo. Temos referência a um conto infantil alemão do Flautista de Hammelin. O relojoeiro que constrói a máquina do tempo e explica as questões '' técnicas'' sobre viagem no tempo ao Jonas é uma referência a Eisnten ,( de acordo com muitos cientistas , Eistein teve a ''visão'' teoria da relatividade quando trabalha em um escritório de patentes na Suiça e olhava o relógio de uma catedral que ficava próximo ao escritório). De acordo com a teoria da relatividade de einstein , viagens no tempo são possíveis porém não se é possível interagir ou mudar o passado ou o presente. E eu creio que isso é oque se passa na série , pois sempre na mesma data hora de novembro aquilo acontece, o Mikkel some , e por ai vai por isso , creio eu, aquele senhor que fica vagando fala que isso tem que parar . Outra coisa que adorei na série , são os questionamentos sobre filosofia, e outros assuntos que são bem legais. Gostei muito mesmo da série e espero que chegue logo a 2 temporada

Sobre o Elge estar na portaria sendo herdeiro da fabrica... Ele deve ter ficado retardado nas pedradas que tomou do Ulrich AHAHHAHAHAHA

Achei um ótimo seriado,te prende do inicio ao fim. Agora é esperar a 2°Temporada

kkkk

Acho que a grande pergunta que a série deixou foi: quem estava à frente na "corrida temporal"? O Jonas adulto, a Claudia velha ou o Noah? E quem é o Noah? Entre outras coisas, por que ele quis entregar o relógio para a Charlotte?

Acho que seria muito óbvio o Noah ser o Bartosz. Até porque Noah contou pro jovem Helge que quando era criança um estranho se hospedou na casa dele e não parecia estar mentindo, então, a lembrança de passado dele não é a mesma do Bartosz. Acho que a identidade do Noah deve ser uma grande revelação da série mais pra frente.

Pior foi o Jonas tomando chuva e ele fala para o policial ESTOU DOENTE, pra encaixar tudo só faltou o policial falar MAS ESTA NA CHUVA?

O pai dele Mikkel

gente, quem é mesmo aquele cara ensanguentado que aparece ao lado do Jonas no futuro antes da formação do buraco negro?

mas o pai da Cláudia não é o policial?

ruuuummmm? eitaaaaa. será?

também não entendi isso

hmmmm fodão :p

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk #morri

Ta, mas como o helge chega criança em 1986 e ele ajuda o padre nessa mesma época estando adulto? Pela sua teoria o helge não cresceu em 1952 pq foi direto pra 86. Mas como q ele seria velho em 2019 se em 86 ele era criança?.. Essa série explodiu minha cabeça.

Sim, eu notei, teve uma hora que eu achei até que o Mads e o Mikkel fosse a mesma pessoa nas fotos kkkk. Menino, apesar da semelhança eu não tinha pensado no Noah e Bartosz (acho que é assim) como a mesma pessoa, achei que ele estava sendo recrutado pra uma possível guerra, um líder ou coisa assim pra gerar essa dicotomia entre bem e mal, herói (Jonas) e vilão, já que eles eram/são amigos e tal e o Bartosz parece o mais manipulável do grupo, mas o que você falou faz sentido também. Muitas teorias pra formular hahaha, série boa de suspense é assim.

Acredito que o Noah seja o Bartosh do Futuro!!

Sim. O fato dos atores serem parecidos me chamou muita atenção. Não só os atores que interpretam um mesmo personagem, mas seus parentes. Você notou que o irmão desaparecido de Urich se parece com o ator que interpreta o Mikkel, filho de Urich? E a menos que tenham assistido a temporada completa leiam o resto do comentário....................................................................SPOILER..........................................................................................................................................................................O ator que interpreta o reverendo Noah se parece muito com o Bartosh (não sei se é assim que se escreve), melhor amigo do Jonas. E o fato de Noah recrutar Bartosh no fim da série me deu a entender que eles são a mesma pessoa. Será que não?

Na Alemanha não tem esse costume.

A trilha sonora desta serie é espetacular e viciante.

Eu só sei q quando chegar a segunda temporada vou ter que assistir a primeira de novo kkkj.

Vc tá certa Jessica kkkk. A série é uma ficção.

O que mais me impressionou na série foi a semelhança dos atores, não só as versões mais jovens como também os pais e filhos. Foram escolhidos a dedo. Gostei bastante das questões filosóficas e dos questionamentos religiosos, do possível anticristo, das referências bíblicas e da hipocrisia religiosa. Bem hereges haha.

Mas numa fala a delegada pergunta ao marido quando ele foi morar na cidade e ele diz 1986. Oras se ele é filho do Elge pq cresceu fora da cidade ? acredito que ele seja o ruivo.

O Ulrich pegou uma pedra e o "matou", não lembro o episodio, a cicatriz é da pedra.

Até que faz sentido, só que acho que o Elge foi encontrado, sim, já que, ele é o pai do psicólogo, inclusive a esposa do psicólogo uma hora pergunta sobre o rapto do pai dele qdo era criança. E outra coisa, ele com certeza passou pela máquina, se não, pq teria a orelha deformada?

Muito boa! Verdade eu só me lembro do amante do psicólogo usando guarda-chuva...lol

Noah é um mistério para ser desvendado nos próximos capítulos e o Elge (criança) nunca é encontrado porque quando ele esta no porão o portal do tempo se abre e ele passa para 1986 e o Jonas vai para o futuro provavelmente 1952, acredito que o Noah recruta o Elge pois o encontra no porão junto a maquina.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

O maior mistério desta série: O que aconteceu com os guarda-chuvas em 2019?

Para mim ficaram muuuuitas pontas soltas... De onde vem o Noah? Pq e como o Elge e o Jonas são os únicos que sobrevivem à máquina? Aliás como a máquina do Noah funciona? Qual a função das crianças? De onde vem o projeto que a Cláudia já tinha? Se o Elge é filho do supostamente fundador da fábrica como ele foi parar na portaria? Sei que aparentemente ficou um gancho para uma segunda temporada, mas pera lá acho que a primeira me deixou com mais perguntas que respostas... Quanto à trilha também achei exagerada, às vezes ela era desnecessária... e também achei que a série começa muito lenta... Mesmo assim, vale a pena... é uma série que é quase impossível não maratonar....

Realmente a série é ótima. Mas falar que inovou, isso não. Pra ser sincero, achei bem previsível. Nada me surpreendeu de fato. Eu deduzi bem antes de acontecerem. Mas isso não tira o mérito da série. De qualquer forma, gostei bastante.

Assista Primer, q você vai entender. Ou talvez ficar mais confusa kkkkkkk

"Pq diabos ninguem comentou o quão parecido é esse padre Noah com o Jude Law???" Verdade, teve uma cena lá que eu achei que era o JL.

Sim, ele aparece morto no terreno da Usina, lembra?

Sim, quando o Ulrich vai pro passado, eles falam q acharam um corpo de um ruivo nas mesmas condições que os outros no presente, era ele.

Uma ajudinha: https://abrilmundoestranho.files.wordpress.com/2017/12/dark_familias1.jpg?quality=70&strip=info

Jessica, você fez a pergunta que eu estou procurando respostas rsrs, também não entendi como é possível os dois Mikkel co-existirem ao mesmo tempo.

Esse final da 3 temporada.... meu deus série otima kkkk

E no fim das contas chegou a ficar alguma explicação para o Obendorff (ruivo do começo da série)?

Entendi... Achei que não pudesse ter dois corpos no mesmo lugar. Obrigada!

concordo, acho que merece mais que 4 ovos

Jéssica, quando se fala de viagem no tempo é mesmo complicado entender, mas tem uma coisa que se chama linha temporal, no qual Mikkel viajou pra 86 ficando mais velho se casando com Hannah e tendo Jonas. Porém o mesmo Mikkel é o filho do Ulrich com a Katarina e como os "mesmos" corpos estão no mesmo lugar?? Paradoxo do tempo, você poderia muito bem viajar pro passado e encontrar com você mesma!!

Alguém consegue me explicar como Mikkel e Michael estavam no mesmo ano? Como a mesma pessoa poderia ter dois corpos e estar no mesmo ano? Se quando entra na caverna, a pessoa viaja no tempo com o próprio corpo atual. Ele não teria envelhecido com o corpo? Tá difícil entender!!

Entrem nesse link e vocês entenderão toda a primeira temporada de Dark: http://www.thisisinsider.com/dark-season-finale-analysis-2017-12

Cara, sabe o que eu fiz? Comecei a assistir de novo. Estava no episódio 4 quando fiz isso e te digo que fez uma IMENSA diferença. Claro, assisti novamente prestando muito mais atenção nos personagens fisicamente e fazendo as relações familiares.

Que série!! Ainda não consegui parar de pensar nela. Estranho as pessoas ainda não estarem falando. Acho que é porque ainda não descobriram, mas quando descobrirem vai ter a mesma repercussão que Stranger Things e Black Mirror. Se Stranger Things ganhou 5 ovos, Dark merece 6. Melhor série do Netflix até hoje.

Olá, obrigado pela sua resposta, fiquei preocupado em ficar no váculo.... Então, concordo com você que a série defende a premissa de que o tempo é circular, tanto que várias vezes afirmam que o passado influencia ou futuro e o futuro influencia o passado. Contudo, observe que o Jonas do futuro não é um cara que acredita nisso. Ele alerta a versão dele do passado que se ele levasse Mikkel de volta para o tempo dele, ele deixaria de existir, claramente acreditando então que seria possível fazer isso. Além disso, o Noah diz que o Jonas do futuro foi enganado para acreditar para poderia acabar com o buraco de minhoca mas que ironicamente seria este evento que criaria o buraco realmente, tanto que o vazamento da usina foi pequeno como o antigo diretor conta para Cláudia. O Jonas do futuro também diz que espera acordar em um futuro diferente, então ele realmente acredita na reescrita da história. Por isso para mim não fez sentido, ele repetir os mesmos atos tendo encontrado a versão mais nova dele( quando disse ele já tinha tido a conversa antes foi no sentido dele estar na posição da versão mais nova antes). Eu até aceitaria se ele não tivesse tido aquele encontro com ele mesmo antes de usar a máquina, pois aí pelo menos a versão mais nova não saberia das últimas ações dele e poderia repetir achando que nunca foram feitas antes. O que acha?

exatamente, isso nem é dificil de entender o tempo nao é linear, é circular

Deixa eu tentar responder de acordo com o que eu entendi, mas pode me corrigir se tiver bastante errado: O tempo não é linear, mas sim circular, ele é constantemente reescrito então um acontecimento no presente já conta com o atravessamento do futuro no passado, então, pelo que entendo, nao existe "dessa vez"- nao há nada sendo alterado, apenas continuado. Portanto jonas do futuro é como é porque no passado ele ja havia encontrado sua versão mais nova e decidido nao libertá-la, porque é assim que tinha que ser... ele nao teve aquela conversa duas vezes, aquele era O momento da conversa (o jonas do futuro teria aquele momento na memoria, porem como sua versao mais nova encontrado a si mesmo do futuro, como seria ele de fato agora). Mas realmente, tem muita coisa que ainda ta nebulosa pra mim: principalmente aquele dialogo do Noah com o Bartosz, nao sei como se dará isso de "mudar o passado" e nem se acontecerá de fato - acho que apenas a roda do tempo continuará a girar.

Gostei muito da série, acho que possui um clima frio mas cativante e gostei muito da forma como aborda viagens no tempo. Contudo admito que fiquei decepcionado com a explicação da morte das crianças, parece que era feito daquela forma porque já tinha sido feito assim antes e tinha que se repetir, sem razão especial, mas este pode ser um tema que voltará em uma possível segunda temporada. A única coisa que de fato achei pouco crivel e se alguém tiver uma teoria me ajude por favor: se o Jonas encontra com a versão mais nova dele no quarto abaixo da caverna antes de explodir a bomba e sabe que já teve aquela conversa antes, então ele sabe que aquela situação já aconteceu. Como ele acha então que dessa vez mudará o futuro, se sabe que da outra vez não funcionou?

Não cara n quis dizer isso, eu disse que o Ulrich de 2019 foi para 53, certo? E o que houve com esse Ulrich? Morreu ou esteve vive, se esteve ele podia estar em 86. entendeu? Digo do Ulrich que viajou no tempo, não criança.

Para mim, não senti tanto o pesar nos recursos sonoros, pelo contrário, achei fantásticos, extremamente imersivos, profundos e angustiantes! Fodaa bagarai!! Que venha a segunda temporada!

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus