Fugitivos
Séries e TV - Adventure
Fugitivos (2017)
(Runaways)
  • País: Estados Unidos
  • Classificação: Não definido
  • Estreia: 21 de Novembro de 2017
  • Duração: indisponível

Fugitivos - 1ª temporada | Crítica

Misturando questões do universo teen com super-heróis cativantes, primeira temporada entrega trama divertida e empolgante

Mesmo quem já está saturado de supergrupos de heróis no cinema e na televisão deveria conferir Fugitivos, nova série da Marvel no Hulu. O programa, que usa como base os quadrinhos homônimos de Brian K. Vaughan e Adrian Alphona, acompanha seis jovens -  Alex (Rhenzy Feliz), Nico (Lyrica Okano), Karolina (Virginia Gardner), Gert (Ariela Barer), Chase (Gregg Sulkin) e Molly (Allegra Acosta) - que, após descobrirem que seus pais integram uma espécie de seita do mal chamada Orgulho, fogem de casa e se unem para desmascarar os atos cruéis das próprias famílias. Enquanto se situam no caos de verem os pais potencialmente como seus piores inimigos, eles ainda descobrem ter habilidades especiais e precisam conciliar tudo isso com as questões hormonais comuns à adolescência.

Quem é aficcionado pelo universo dos quadrinhos sabe que a versão de papel de Fugitivos fez um ótimo barulho quando foi lançada - a publicação chegou a ser classificada como "um dos melhores conceitos originais da Marvel das últimas três década" por veículos especializados. Além de ter sido considerada um sucesso comercial, Vaughan, criador da história original, chegou a ganhar um Eisner, o Oscar dos quadrinhos, em 2005: a qualidade de Fugitivos foi reconhecida de todas as formas possíveis. Mas, para levar esse conteúdo para a TV era preciso, então, tornar isso palatável ao público médio. Para isso, o Hulu trouxe Josh Schwartz e Stephanie Savage, dupla responsável por séries adolescentes como The O.C. e Gossip Girl.

Essa união de série teen com o universo geek foi fundamental para preservar a atmosfera original dos próprios quadrinhos, que mesclam as questões conturbadas da adolescência com a descoberta aterradora das atividades dos pais e dos próprios poderes. É comum produções sobre jovens serem pontuadas por diálogos forçados, mas Fugitivos ganha pontos pelo roteiro assertivo. A interação entre os jovens é marcada por momentos de insegurança, referências divertidas de cultura pop e comentários cheios de acidez e ironia, exatamente o que se espera de jovens interagindo.

Em alguns momentos, contudo, a mão de Schwartz e Savage parece ter pesado muito na série. O destaque dado para os dramas conjugais dos pais parece um bônus nos primeiros episódios, já que nos quadrinhos as relações internas entre os vilões são pouco exploradas, mas, ao longo da temporada, elas começam a gastar um tempo de tela excessivo - são três casais passando por problemas ligados à traição entre os pais dos protagonistas. Ainda que seja interessante dar humanidade aos pais para tornar a dinâmica da série menos maniqueísta, a forma como o caráter dos vilões é construída por vezes soa apenas como uma sucessão de contradições.

Aliás, quem é fã dos quadrinhos vai se sentir em uma montanha-russa vendo a série: em dados momentos a adaptação é certeira, enquanto que, em outros, opta por caminhos decepcionantes. Fugitivos se aproxima mais de Vingadores do que de X-Men em relação à heterogeneidade da origem dos heróis: são feiticeiros, mutantes, cientistas, alienígenas reunidos. Na série, contudo, algumas dessas categorias foram sublimadas - Molly ganha os poderes em um acidente misterioso e o Cajado do Absoluto perde grande parte do seu impacto por ser convertido em uma espécie de artefato tecnológico.

Por outro lado, a parte técnica da série é ótima, principalmente quando nivelada com produções voltadas para o mesmo público-alvo. Os efeitos especiais usados são bastante convincentes - as cenas de ação com Molly são boas, a pele luminosa de Karolina é bastante fiel aos quadrinhos e, é claro, os principais momentos de Alfazema são tão impecáveis que a pet de Gert poderia ser treinada por Chris Pratt em Jurassic World. Além disso, o relacionamento entre os jovens protagonistas - um pacote de amizade, inveja, decepção e todas as complicações amorosas possíveis - são o ponto alto da série. A segunda temporada deveria investir em dar mais tempo de tela a eles do que deu na primeira em detrimento de seus pais.

Por mais que pareça arriscado investir em um título desconhecido do público mainstream, a estratégia da Marvel com Fugitivos já foi vista em outros campos. Após dominar o cinema com heróis mainstream como Homem de Ferro e Capitão América, a empresa conquistou a confiança do público a ponto de fazer com que filmes de herói como Dr. Estranho e Guardiões da Galáxia, personagens pouco conhecido para quem não lê quadrinhos, ficassem entre as 150 maiores bilheterias de todos os tempos. De forma semelhante, na TV a Marvel viu a primeira temporada de Demolidor ser um sucesso e, em seguida, lançou as séries solo de Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro - certamente muita gente teve contato com esses nomes pela primeira vez através da Netflix. Fugitivos segue nessa mesma esteira.

A primeira temporada entregou uma das melhores séries desse gênero da atualidade, já que não é difícil ser conquistado pelo carismático sexteto. Ainda que se afaste perigosamente da obra original, há um leque de possibilidades para o já garantido próximo ano: além do aguardado confronto entre pais e filhos se aproximar, a série deixa questões a serem resolvidas entre os pais e, certamente, o relacionamento dos jovens, convivendo de forma ininterrupta e sem o menor conforto, será elevado a outro nível. Fugitivos é uma boa pedida para quem é fã de séries de heróis - o público só precisa romper a barreira do desconhecimento para incluir seis novos rostos entre seus personagens com superpoderes preferidos.

Nota do crítico (Ótimo) críticas de Séries e TV
 

Crítica rasa. Argumentos que parecem vir de um jovem adulto que tem repulsa a adolescentes.

Cara, desiste, em todos os posts vai ter algum imbecil comentando a quantidade de ovos.

Acredito que a série tem um público alvo destinado: os adolescentes. Assim como foi a própria HQ tem esse público alvo, por isso dá pra perceber aqui nos comentários essas diferenças de opiniões tão grandes. Não acho que alguém com mais de 25 anos vai se interessar por essa série, mas a série entrega uma trama de qualidade para o público alvo desejado, afinal estamos falando do Josh Schwartz que criou uma das melhores séries do gênero adolescente que foi The OC.

Bom você pode até estar certo, eu só não creio que seja isso, mas seguimos com a verdade de cada. Valeu pela educação na resposta, difícil achar pessoas assim na net kkk.

curti muito a serie , 10/10 .

Maravilhosamente ruim.

Não estou opinando aqui por essa questão de reclamação, mas apenas para discutir seu ponto de vista. As ações de qualquer funcionário atuando em nome da empresa em que ele trabalha, representa sim a opinião da própria. Caso ela discorde de alguma atitude de um funcionário, deverá emitir uma nota esclarecedora, chamar atenção do funcionário, dentre outras opções que a legislação trabalhista prevê. Nesse caso específico, esteja certo ou errado a opinião do crítico, o fato é que ele está sim representando o omelete. Ela o contratou, o colocou como seu representante e o paga para isso.

Pior que tem sim, haha. Eles mencionam a universidade que o Hulk teve seu primeiro segundo ataque em O Incrível Hulk e tem em vários pontos da série a WHiH, rede de notícias criadas em Homem de Ferro 1 que aparece em várias séries e filmes.

Parem de atribuir a quantidade de Ovos como se fosse do Omelete por inteiro, foi o RAFAEL GONZAGA que deu 4 Ovos, a Natália pode ter odiado, o Borgo pode ter amado, o Hessel pode ter achado meh, enfim, existe o nome da pessoa que deu os Ovos e cada um respondi por si e não pelo site como um todo, senão na crítica estaria assim... "16/01/2018 - 19:30 SITE OMELETE" - Paz.

Essa série é regular. Boa já seria uma consideração alta demais, e "ótima" só no mundo encantado do site Omelete onde críticas não fazem sentido.

A série não é ótima, é apenas boa. Tem vários momentos legais, mas também tem várias passagens que caem a qualidade. No final, é um resultado bacana que deixa com vontade de ver uma segunda temporada, mas nada que deixe ansioso com expectativa nas alturas.

Parei para ver o piloto sem compromisso e quando percebi já estava no oitavo episódio...

Analisando a partir de uma perspectiva técnica, a série não é nem um pouco ruim. Porém, né, gosto é relativo.

Acompanho vosso coro caro internauta. Meu motivo vem da crítica de outra série, Devilman Crybaby, que discordei profundamente da avaliação positiva da mesma.

Meodeosdoceu... a série é ruim demais!!! Omelete, pô! tá complicado continuar seguindo vocês hein?

A serie da Supergirl é bem divertida...curto muito, mais que Flash...agora quero ver qd a globo bai exibir a 2ª temp. de Gothan

Adorei a série. Grata surpresa.

Obrigado por tudo, à você e a sua equipe. Vocês são 10!

Caramba, outra série boa da Marvel! Realmente, a DC precisa de séries boas tbm, pq não dá para viver só de Gotham e olhar para o lado e ver Demolidor, Punisher, Luke Cage, Defensores, Agent Carter, Jessica Jones, AoS, Fugitivos, Manto e Adaga, Legion, The Gifted etc!!!!!

segundo informações de bastidores sim, segundo a série necas, nenhuma menção, nadinha.

se tinha ligação, vc que não entendeu. Ligação não tem nenhuma, a gnt só sabe que faz parte por bastidores, pq pela série não da pra saber. O cara quer sabe se faz menção essas coisas.

Chup@, DC.

Yep

Você sabe o que ele perguntou.

Exatamente

Isso mesmo.

É divertida e empolgante. 2/5

Essa ainda preciso ver.

É você, então, que a gente tem que denunciar por colocar disponível ilegalmente na internet?

Nem perca tempo com essas séries.

Visualmente, como tudo que é feito com efeitos práticos, comparado com CGI puro, sempre fica melhor.

A série não é isso tudo, mas pode entreter quem estiver procurando conteúdo novo com temática de super poderes com o conceito criativo que a série apresenta. Fui perdendo o interesse no meio para o fim, muito por causa de vários draminhas que ocorrem com os adultos, mas insisti. Darei uma conferida na segunda temporada na esperança de melhorar um pouco.

fazer parte e ter ligação é diferente, não tem ligação nenhuma e foi isso que o cara pergunto.

Não era um robô. Era um fantoche, "controlado" por varias pessoas ao mesmo tempo, cada parte dele, e ainda com complemento de cgi. Dentinho era completamente CGI, então força a barra menos. Alfazema ficou bem melhor visualmente.

Sim.

Faz parte sim. Teve até notícia sobre.

Faz parte do MCU sim.

Eu realmente curti muito essa série, claro que tem momentos farofas, mas os personagens são de um carisma, que compensa qualquer bobagem. Que venha a 2º temporada.

Caralh... DEPOIS DE TANTAS SÉRIES FODAS DA MARVEL OS CARAS QUEREM QUE EU ASSISTA ESSAS NOVELAS RUINS DA DC, PELO AMOR...

Eu não colocaria os dois tão distante assim. Dentinho foi mais fofo e melhor bem feito do que a Alfazema, que mais parecia uma robô do que uma dino. Em alguns momentos, provavelmente era de fato um robô, o que não contribuiu em nada pro carisma dela.

Cloak and Dagger tá pra esse ano na Freeform, mas não tem data.

antes de abrir já sabia de quem era a crítica kkkkk dormi nas duas vezes que tentei assistir ao piloto, essa eu passo.

Não, o que não faz diferença já que pros filmes as séries não existem.

Não é ruim por não ter conexão com o MCU, mas concordo que achei bem fraca. A série é arrastada, é cheia de cliffhangers idiotas (personagem tem algo importante pra contar e é interrompido, acontece várias vezes, e alguém conta pra menina que dá pra ligar o celular só de ligar na tomada, não precisa esperar a bateria estar 100%). Eles até tentam dar uma profundidade pros personagens (descoberta da sexualidade, antagonismo com os pais), mas parece não chegar lá. A luta final entre pais e filhos foi decepcionante, acho que muita gente esperou por esse momento.

Vou ler depois a crítica, mas gostaria de saber.. essa serie tem alguma ligação com o UCM ? E falando nisso.. aonde está a série do Manto e a Adaga que anunciaram tem um ano, saiu até trailer, mas depois disso...........

Esqueceu de Legion? Série incrível, diferente de tudo o que foi feito até agora.

Não fica claro se a Molly ganhou os poderes naquela explosão (que não tem nada de acidental). Como os poderes dela despertam aos treze anos e a Marvel comprou a Fox, eles ainda podem chamá-la de mutante na próxima temporada.

Não, assim como as outras séries

Gente, parece que eu não vi a mesma série que o Rafael Gonzaga. Eu tinha tantas esperanças e expectativas, mas achei a primeira temporada muito ruinzinha. Não gostei de nenhum dos personagens adolescentes, enfim... fui empurrando com a barriga pra ver se tinha conexão com o Universo Marvel, mas parece que a história é mais isolada mesmo. De qualquer forma é uma temporada de 2 ovos pra mim.

Pra mim foi a melhor surpresa de 2017, comecei assistindo a série apenas por assistir, mas a cada episódio a série ia me conquistando mais e mais.

Sim.

Faz parte do universo marvel dos cinemas?

Só tenho a agradecer. Parabéns pelo trabalho.

"Em alguns momentos, contudo, a mão de Schwartz e Savage parece ter pesado muito na série." concordo demais que perderam tempo nas relações conjugais dos pais, de maneira desnecessaria. De repente a otima serie virava um "Melrose Place"(ou The OC ou gossip girl), que desviava totalmente do tom. Mas ainda bem q acertaram bem mais que erraram, boa surpresa de serie da marvel.

Uma surpresa extremamente positiva.

A Alfazema (o dinossauro ) nessa série foi tudo o que o Dentinho devia ter sido em Inumanos,um mascote fofo e carismático que se tornou favorito dos fãs. Isso é o que dá contratar showrunners decentes,ao invés de um Scott F#ck da vida. Eles acertaram a mão com fugitivos ,Justiceiro Jessica Jones e Demolidor devido aos showrunners competentes....

Sem dúvida alguma, Runaways junto à The Gifted foram as surpresas de 2017 para a divisão televisiva da Marvel. O elenco é incrível, os efeitos visuais são maravilhosos (gente, a Alfazema tá perfeita, e ela não fica deitada em todo EP como o Dentinho em Inumanos), alias, batem muito fácil qualquer coisa feita na Netflix, e a trama é INCRIVELMENTE envolvente. Os episódios têm 50 minutos, mas você já tá no final e nem percebe o tempo que ficou assistindo. Grande adição ao MCU e faz jus aos quadrinhos (não supera, mas ainda assim é espetacular). Que venha a 2° temporada que tenho certeza que vai ser mais eletrizante ainda.

haha, as vezes eu apareço nos sites de noticias! A gente não ganha nada não Dollynho, fazemos de coração <3

E não, não ganhamos.

Você por aqui, gerb? Haha

Ganha alguma coisa pra legendar, ou faz apenas na parceria?

Orgulhoso de ter ajudado a legendar essa belezinha! <3 AgentsOfSubs <3

A cena final da season finale foi linda, ansioso pela 2° temporada.

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus